ad16
AutoPECASonline24.pt
CulturaDestaquesGeral

Vilebaldo Rocha toma posse na Academia de Letras da Região de Picos

[ad#336×280]O poeta, escritor e ator Vilebaldo Nogueira Rocha ocupou na noite deste sábado (23) a cadeira número 10 da Academia de Letras da Região de Picos – ALERP. A solenidade de posse ocorreu no auditório da instituição com a presença de familiares e nomes ilustres da cultura picoense.

Bastante sorridente e emocionado, o novo imortal da Alerp afirmou que chega para somar e trazer novo ar à cultura de Picos. “Com o perfil que eu já tenho de fazer arte, venho para somar mais ainda, fazendo mais um pouco pela cultura de Picos e microrregião”, disse.

Como projeto inicial dentro da Alerp, relatou o desejo de resgatar a história do patrono da cadeira, Mario Martins, e de sua primeira ocupante, a poetisa Maria Jesus de Sousa Martins, falecida em 18 de novembro de 2012. “Quero fazer difundir a sua arte, a sua poesia. Esses são dois poetas de primeira qualidade”, afirmou.  Para o lado pessoal, Vila, como é conhecido entre os mais íntimos, deve lançar em breve um novo livro com poesias inéditas.

Vilebaldo Rocha, novo imortal da Alerp
Vilebaldo Rocha, novo imortal da Alerp – Foto: Joel Cardoso

“Vilebaldo é um dos fundadores da Alerp, quando ainda era jovem. Ele fez tudo, exceto ingressar na academia, e nós estamos corrigindo isso hoje. A cultura se alegra e Picos está em festa”, comemora a professora Francelina Macedo, presidente da Academia de Letras da Região de Picos.

Para Maria das Graças Martins Granja, a posse de Vilebaldo na cadeira que por muito tempo pertenceu à sua irmã é motivo de emoção para a família. Dois livros póstumos de Jesus Martins estão sendo editados e devem lançados em breve.

Outro nome ilustre da cultura e das letras picoenses, a professora Oneide Fialho Rocha, que atualmente ocupa a secretaria de Planejamento do município de Picos, lembrou as temáticas sensíveis da poesia de Vilebaldo. “Vilebaldo fala da vida, fala do Rio Guaribas, um rio que ele viu rico e abundante em sua infância e que hoje é esgoto. Na sua veia poética, ele denuncia essa falta de cuidados com o meio ambiente através da poesia”, destaca.

Vilebaldo Rocha ao lado de sua esposa, Rozangela
Vilebaldo Rocha ao lado de sua esposa, Rozangela – Foto: Joel Cardoso

Comemoração

A posse do novo imortal da Alerp ocorreu numa cerimonia onde se celebrou também o Dia da Mulher, comemorado no último dia 8 de março, e o Dia da Poesia, celebrado em 14 de março.

Eleição

Após análise dos trabalhos inscritos, o nome do poeta e escritor Vilebaldo Nogueira Rocha foi indicado pela comissão julgadora e então submetido ao corpo acadêmico em 23 de fevereiro na votação que o elegeu novo membro da Alerp.

A eleição foi realizada para preenchimento da cadeira nº 10, anteriormente ocupada pela acadêmica Jesus Martins, falecida em 18 de novembro de 2012, em Picos.

Vilebaldo Nogueira Rocha - Foto: Arquivo Pessoal
Vilebaldo Nogueira Rocha – Foto: Arquivo Pessoal

Biografia

Vilebaldo Nogueira Rocha ou simplesmente Vila.

Vilebaldo Nogueira Rocha nasceu em 26 de dezembro de 1964, filho de Adalberto de Araújo Rocha (in memorian) e Maria da Conceição Nogueira Rocha, que tiveram ainda mais seis filhos.

Casado com a professora e pedagoga Rozângela de Sousa Leal Rocha, Vilebaldo é pai da pequea Sofia Dóris da Conceição Leal Rocha.

Formado pela FAFOPA – Faculdade de Formação de Professores de Araripina-PE em Licenciatura Plena em LETRAS e posteriormente especializado em Literatura Brasileira pela Universidade Regional do cariri – URCA.

Foi introduzido no meio artístico pela expoente da cultura picoense Mundica Fonte, que o estimou a publicar seus poemas em jornais e a declama-los em eventos culturais. A seu convite, participou do grupo de teatro “Mutirão Arte e Cultura” encenando a peça “Auto de Nossa Senhora dos Remédios”. Foi membro fundador do GECOP – Grupo Ecológico de Picos; participou do Grupo de Amigos “Oásis”, do qual originou-se o “Oásis da Leitura” e o “Grupo Teatral Oásis”; a convite de Sávio Barão, ingressou no “Projeto Bar Cultural”; sendo ainda membro fundador e 1º Presidente da U.P.E – União Picoense de Escritores.

O escritor tem dois livros de poemas publicados: Cacos de Vidro (2000) e O Caçador de passarinhos (2006), ambos prefaciados pelo professor Carlos Eugênio e ilustrados pela artística plástica Mundica Fontes.

Participei da Antologia Upeana – publicado pela União Picoense de Escritores em 2005.

Em parceria com a professora Suely Rodrigues, com produção de Marx Rodrigues, lançou o CD-Roteiro do Olhar (2011).

Outro CD está em fase de conclusão com o parceiro Luis Campos.

Juntamente com Jesualdo Alves, Flávio Guedes e Sávio Barão, encenamos várias peças teatrais vencedoras de vários festivais em Picos e região, entre elas: O Casório da Pafunsa, de Fontes Ibiapina; Morte e Vida Severina,  de João Cabral de Melo Neto; O santo Inquérido, de Dias Gomes; A Paixão de Cristo; Vida e Morte de João Batista; A Sagrada Família; A Gota D’Água; Oásis; entre outras.

Participou dos filmes: Senhora dos Remédios e A labuta com direção de Flávio Guedes; Raízes do Sertão 3 e 4 e mais um que está por sair do diretor Roberto Borges.

Concorreu com destaques e prêmios nos seguintes concursos de poesias:

1990 – Primeiro lugar no concurso de poesia – Centenário de Picos, com a poesia “Rio Guaribas” – promovido  pela ALERP – Academia de Letras da Região de Picos.

1994 – Primeiro lugar no concurso de poesia III – Semana Universitária – com a poesia “Homens de Cimento e Cal” – promovido pela  UFPI  – Campus de Picos.

1995 – Segundo lugar no concurso de poesia Lucídio de Freitas com  o poema “Poesia de Neon”– promovido pela APL – Academia Piauiense de Letras.

1997 –  Primeiro lugar no concurso de poesia V – Semana Universitária – com a poesia “Cristos Crucificados”. Promovido pela UFPI – Campus de Picos.

E o último em 2012, foi classificado para compor a Antologia Rima Rara, através do Concurso Nacional Novos Poetas, da Editora Vivara, com o poema “Gravidez de Desejo”.

“Este é o meu percurso de vida e literário. Foi com esta bagagem que eu resolvi concorrer a esta cadeira nº 10 da Academia de Letras da Região de Picos, patroneada pelo professor e poeta Mário Martins e tendo a professora e poetisa Jesus Martins como 1ª ocupante”, destaca.

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade