ad16
SaúdeTodas as Notícias

Wellington Dias diz que governadores trabalham em três frentes para garantir a Sputnik V

O líder do Executivo estadual voltou a criticar a demora da Anvisa em conceder autorização para a importação.

De volta ao Piauí após agenda com o embaixador da Rússia no Brasil, o governador  Wellington Dias (PT) afirma que os governadores trabalham em três frentes para garantir a importação da vacina a  Sputnik V. O líder do Executivo estadual voltou a criticar a demora da Anvisa em conceder autorização para a importação.

Ele cita os exemplos de outros países que usam a vacina no controle da pandemia. Wellington diz que a urgência do país é pela vacina.

“Estamos trabalhando em três frentes. Uma primeira junto ao Ministério de Saúde da Rússia, a Gamaleya, que é o instituto que desenvolveu a vacina, que equivale a nossa Fiocruz e Butantã no Brasil, é um instituto muito respeitado pela ciência no mundo. Ele funciona desde 1891. Já tem uma tradição de desenvolver vacinas. Eles completaram todas as informações solicitadas pela Anvisa. A Anvisa solicitou apenas mais um documento e informação. Do outro lado, dentro do Brasil, os maiores cientistas brasileiros analisaram e estudaram toda essa documentação. Os estudos feitos na Rússia, Argentina e México, no Egito e na Turquia. E deram um posicionamento da ciência brasileira de que a  Sputnik V é segura.  E preenche requisitos. E já foi demonstrada para milhões de pessoas. Tem eficácia mais elevada do que outras vacinas. A vacina controlou a crise no México, em Buenos Aires e Moscou. A vacina controlou e reduziu o número de óbitos, casos e internações. É uma vacina com qualidade. Eles contestam qualquer risco fora do padrão internacional em relação ao vírus replicante como foi citado. Não é só mais um importante instituto. Mas são cientistas brasileiros”, disse. 

Governador Wellington Dias

Wellington destacou decisão do Congresso Nacional que aprovou lei que ajuda a acelerar o processo de aquisição de vacinas no país. 

“Fomos à embaixada da Rússia porque havia um risco. A vacina hoje é disputada. Não sei como as pessoas percebem. Mas estamos falando do Brasil precisando e muito de vacina. Um país como a Rússia que produz vacina, que pode comercializar e vender, tem demanda do mundo inteiro, quase que adulando para receber a vacina. Houve um momento em que corremos risco de perder esse contrato. E dizemos ao embaixador que temos interesse pela vacina. O outro caminho é o Congresso Nacional que aprovou a lei com objetivo de facilitar a liberação de vacina. Ontem o senador Confúcio Moura, que coordena uma comissão de acompanhamento da pandemia, estão empenhados de ajudar que se tenha agilidade nesse posicionamento da Anvisa. Isso porque cada dia que perdemos sem vacina é uma quantidade de óbitos. São vidas humanas em jogo”, destaca.

Wellington Dias comentou declaração do presidente Jair Bolsonaro, que ameaça baixar decreto para “garantir o direito de ir e vir”, contra as medidas restritivas dos governadores. 

“Que bom que o Brasil tem um sistema democrático onde a opinião de um líder não prevalece sobre a Constituição e nem sobre os demais Poderes. O fato é que temos que cuidar com muito cuidado da nossa democracia. Acho que quanto a isso temos uma unidade no Brasil muito maior do que ocorria em 2019 ou 2020. Entramos 2021 em uma situação bem mais forte dentro do Brasil, na defesa das instituições, na defesa da democracia”, destacou.

Cidade Verde

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade