ad16
DestaquesTodas as Notícias

“Concordo com algumas coisas e discordo de outras”, afirma Sílvio Mendes sobre Bolsonaro

O ex-prefeito de Teresina também sinalizou que caso seja eleito não teria problemas em governar seja em uma eventual presidência de Jair Bolsonaro (PL) ou de Luiz Inácio Lula da Silva, o Lula (PT). 

O pré-candidato Sílvio Mendes avaliou, nesta terça-feira (17), que esta é a primeira vez que a oposição tem chances reais de vencer uma eleição no Piauí. O ex-prefeito de Teresina também sinalizou que caso seja eleito não teria problemas em governar seja em uma eventual presidência de Jair Bolsonaro (PL) ou de Luiz Inácio Lula da Silva, o Lula (PT). 

Sílvio Mendes ressaltou que, ao contrário do que interlocutores da base governista narram, ele não é o pré-candidato do presidente no Piauí. O médico pontuou concordar e discordar de determinados posicionamentos de Bolsonaro. 

Ele também fez elogios ao ex-presidente Lula, citou contribuições da gestão do petista para obras em Teresina e disse que ter reclamações. 

“Eu nunca falei com o Bolsonaro, concordo com algumas coisas que ele faz e discordo de outras. Quando era prefeito o Lula era prefeito, sou grato pela ajuda que ele deu no HUT e Ponte Estaiada. Por que reclamar dele? Agora, eu aceitei ser candidato a governador do Piauí e não tenho nenhum um olhar nacional.

O país está dividido. Não quero saber disso e nem vou me escanchar nesse ou naquele candidato”, pontuou. 

Sílvio Mendes também falou sobre o reforço que a oposição ganhou com o apoio do ministro Ciro Nogueira (Progressistas). Segundo ele, sem o apoio do senador licenciado ou do Progressistas ele não seria pré-candidato ao governo.  

“Sem o Ciro e o Progressistas eu não seria candidato, como não deu certo com Firmino, Luciano e comigo. É preciso ter um base partidária que seja robusta. Pela primeira vez na história a oposição está com possibilidade real de ganhar. Então, isso assusta”, destacou.

O pré-candidato também afastou e rebateu uma série de críticas que sofreu desde que anunciou que iria concorrer ao governo do estado.

“Lá atrás quando comecei minha viabilidade política disseram que o Firmino iria mandar em mim, não mandou. Disseram que a maioria dos prefeitos do Progressistas não iriam me aceitar, aceitaram e vieram mais. Terceiro, disseram que eu iria ser mandado pelo Ciro. Nenhuma possibilidade, em nenhum momento fizemos acordo dessa natureza. Até porque se tivesse tentativa eu não aceitaria. O Ciro nunca fez esse tipo de proposta”, declarou. 

As declarações do pré-candidato foram dadas durante entrevista após participação do pré-candidato em um seminário promovido pelo Cosems-PI. 

Fonte: Paula Sampaio/Cidade Verde

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.