ad16
BocainaTodas as Notícias

Estudante de Direito que sofreu acidente na barragem de Bocaina terá alta do HUT após mais de dois meses

A estudante de Direito em Teresina, Thalia Bezerra, de 22 anos, está com alta prevista no Hospital de Urgência de Teresina (HUT) depois de quase três meses de internação. Ela é uma das vítimas de um acidente com embarcações na barragem de Bocaína em outubro do ano passado. 

Thalia e o amigo Alan Bruno da Silva Sousa estavam em um bote, puxado por um Jet Ski no dia 18 de outubro, quando bateram em uma lancha que estava estacionada às margens da barragem. Os dois sofreram traumatismo craniano, mas não houve necessidade de intervenção cirúrgica. 

Thalia está traqueostomizada, se alimentando por sonda e aguarda somente a troca de traqueostomia para deixar o hospital. A família já foi orientada  para dar continuidade ao tratamento em casa, inclusive deve solicitar o apoio de órgãos de saúde para terem apoio com o material necessário. Porém, além disso, ela precisará de acompanhamento de vários profissionais.

“Ela vai precisar de acompanhamento de nutricionista, enfermeira, fisioterapeuta e todos os cuidados necessários porque vai continuar com a traqueostomia mesmo voltando para a casa”, afirma o primo da estudante, Marcos Heitor. 

Ele conta que a família não tem condições de arcar com as despesas, por isso estão fazendo um bingo beneficente. “O pai dela é falecido, a mãe não tem renda e ela só tem uma irmã mais velha. Por isso estamos fazendo esse bingo para tentar a ajudar nas despesas que devem ser de cerca de R$ 8 mil por mês”, calcula o primo. 

Alan, o amigo de Thalia que também se feriu no acidente, teve alta em dezembro e não apresenta sequelas. Ele retornou para casa, no mesmo município e está bem. No último domingo(04) comemorou seu aniversário. 

O acidente ainda está em fase de investigação pela Capitania dos Portos do Piauí. De acordo com o comandante capitão de Fragata, Benjamin Dante Rodrigues, várias testemunhas já foram ouvidas, além de Alan e que ainda há outras que devem ser. 

“Nós já constatamos que o condutor da moto aquática não era habilitado para conduzir esta embarcação e que a moto tem inscrição na Marinha com o nome de outra pessoa. A gente está no curso das investigações”, destacou o comandante.


Fonte: Do Cidade Verde
Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar