ad16
GeralTodas as Notícias

Greve dos Correios já atinge 40% dos trabalhadores

[ad#336×280]A greve dos trabalhadores dos Correios já completa 40 dias e pelo menos dois milhões de correspondências estão paradas nas Centrais de Distribuição Domiciliar (CDD) da empresa no Piauí, segundo o sindicato da categoria. Ainda de acordo com o sindicato, cerca de 70% do setor opera-cional aderiram ao movimento paredista, que já atinge 40% do total da empresa no Estado. Em todo o país já são quase 50 mil trabalhadores em greve. Um novo dissídio está marcado para amanhã no intuito de se chegar a um acordo.

A greve, que já se configura como a maior da história da categoria, foi motivada, segundo o sindicato, pelo descumprimento da empresa à cláusula 11 do dissídio coletivo assinado ano passado e que deu fim à greve anterior. O texto estabelecia que a implantação do Postal Saúde, plano de saúde privado que substituirá o atual plano gerenciado pelos Correios, só poderia ser feito a partir de uma negociação entre as duas partes.

Greve dos correios - Foto: Divulgação
Greve dos correios – Foto: Divulgação
“Porém, o dissídio coloca que não poderia haver nenhuma mudança no plano, ao mesmo tempo em que a empresa já começa a modificar sua estrutura administrativa, desde janeiro. O plano era gerenciado pelo setor de Recursos Humanos e agora, de acordo com a proposta dos Correios, passará a ser gerido pela iniciativa privada. Nós não aceitamos isso e esse é o fator motivador da greve”, afirma Sergio de Castro, diretor de Comunicação do Sindicato os Trabalhadores dos Correios.

Uma nova ação foi ajuizada pela empresa e amanhã acontecerá mais uma audiência de dissídio no  Tribunal Superior do Trabalho (TST). Os 17 sindicatos que aderiram ao movimento estão organizando caravanas para participar da audiência que acontece em Brasília.

Os Correios afirmam em nota que as acusações do sindicato não procedem. Segundo a empresa, o TST reafirmou na última sexta-feira, 7, a legitimidade da Postal Saúde.
Diário do Povo
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade