ad16
https://ead.uninta.edu.br/
AutoPECASonline24.pt
Geral

João Claudino diz que leis trabalhistas prejudicam jovens

Foto: Reprodução

O empresário João Claudi-no Fernandes disse ontem em entrevista ao Jornal do Piauí, da TV Cidade Verde, que as leis trabalhistas impedem jovem de trabalhar e de se desenvolver profissionalmente. “Um jovem de 14 anos hoje pode tudo, menos trabalhar”, reclamou ele.

A crítica do em-presário vai de encontro à modernização das leis trabalhistas e às políticas de investimentos em educação formal para a juventude, mas rea-cende a polêmica sobre a idade certa de o jovem começar a trabalhar e a importância da atividade profissional para ele.

Hoje, as leis trabalhistas impõem sérias restrições ao trabalho de jovens menores de 18 anos, mas na própria Justiça do Trabalho há correntes que defendem o trabalho formal de jovens a partir dos 14 ou 15 anos. Dono de um dos maiores conglomerados empresariais do Nordeste – o Grupo Claudino, que é formado por 13 empresas e tem cerca de 16 mil funcionários e atua no Piauí, Maranhão, Pará, Tocantins, Ceará e São Paulo, João Claudino sempre teve como uma de suas práticas empresariais oferecer trabalho para adolescentes e pré-adolescentes em suas empresas.

Para ele, o trabalho é mais do que uma ocupação profissional para o jovem – é uma forma de aprendizado profissional e um ensinamento para a vida. “Antigamente, o jovem começava cedo a trabalhar, e isso lhe servia como ensinamento para toda a vida”, observou ele, ontem, resumindo uma filosofia compartilhada por pais e empresários das décadas de 1970 e 1980, sobretudo. Antigamente, garotos na faixa dos 14 anos de idade começavam a trabalhar como mirins nas lojas do Armazém Paraíba, uma das primeiras e mais sólidas empresas do Grupo Claudino.

Os mais aplicados recebiam prêmios anuais e eram in-centivados a aproveitar as oportunidades de ascensão profissional que a empresa oferecia. Centenas deles chegaram a postos de gerência e de direção no Paraíba e de outras empresas do grupo. Nas duas últimas décadas, porém, as leis trabalhistas brasileiras restringiram – e, em muitos casos, proibiram – o trabalho infanto-juvenil, estabelecendo punições severas para os pais e empresas que desrespeitam a legislação.

Depois que as leis trabalhistas impuseram limitações ao trabalho de menores de 18 anos, o grupo criou o programa Jovens Aprendizes, que seleciona estudantes para atuarem como trainee, com metodologia e horários de trabalho associados à educação formal.

diariodopovo-pi.com.br

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade