ad16
DestaquesPolíciaTodas as Notícias

Mãe de bebê queimado afirma que seita seguia um profeta que tem 12 anos

Era uma espécie de seita, eles faziam ritual de orações, faziam jejum total sem alimentação, higiene e sem consumo de água, afirmando que queriam quebrar uma maldição

Novas descobertas no caso do bebê de 1 ano e 9 meses que foi queimado em suposta ceita no povoado São Bento, zona rural de Teresina. A conselheira Socorro Arrais, informou ao portal Cidadeverde.com, na manhã desta quarta-feira (23), que a mãe contou em depoimento no Conselho da Zona Leste, que a família do marido cultuava um profeta que era um adolescente de 12 anos. As informações são do Cidade Verde.

“Segundo a mãe do bebê, eles cultuavam um adolescente que é membro da família que se dizia profeta e era uma espécie de Deus para eles. Era uma espécie de seita, eles faziam ritual de orações, faziam jejum total sem alimentação, higiene e sem consumo de água, afirmando que queriam quebrar uma maldição”, disse Socorro Arrais.

No depoimento, a mãe garantiu que chegou a questionar que o jejum prejudicaria o bebê – Wesley Carvalho Pereira – mas não foi ouvida. “Ela disse que eles afirmaram que o jejum era para os adultos e crianças”, disse Socorro.

Na residência morava cerca de 10 pessoas da mesma família entre os pais, avós, tios e tias do bebê. Eles frequentavam uma igreja evangélica, mas estavam afastados e isolados. 

Foto: Arquivo Pessoal

“A mãe tem 23 anos, contou sua versão e disse que foi coagida. Ela disse que entregou o bebê para o pai levar para o hospital, ela estava fraca, debilitada, e retornaram sem a criança. Ela disse que saíram com a criança, o pai, os avós e o suposto profeta. Eles garantiram pra ela que eles jogaram o corpo do bebê em uma caieira de fogo”.

É estarrecedor

A conselheira Socorro Arrais, que tem 12 anos de trabalho em defesa da criança e do adolescente, classificou como um “ritual macabro”.

“Não se sabe se a criança ao ser jogada no fogo estava viva ou morta. O bebê poderia estar desmaiado de fome, agora só a polícia vai saber. É estarrecedor, assustador e esse crime não pode ficar impune”, disse a conselheira.

Peritos encontram material

Os peritos do Instituto Criminalística estiveram no local onde o bebê Wesley de Carvalho teria sido queimado. A localização foi apontada pelo pai da criança. No local, os peritos e policiais da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) encontraram material que passará por exame de DNA, que posteriormente será utilizado para confirmar se pertence ao bebê que teria sido cremado. 

O delegado Matheus Zanatta, gerente de Polícia Especializada, disse que a polícia trabalha com algumas hipóteses que foram levantadas por testemunhas e pelos pais da criança. Entre essas hipóteses está a de que a criança morreu de fome após passar 14 dias em jejum. 

“Já o pai da criança afirma que ela morreu de causas naturais, que ele e a mulher encontraram a criança na rede já sem vida. Por conta disso, decidiram fazer a cremação da criança”, relatou o delegado. 

Desaparecimento de Wesley 

O delegado Matheus Zanatta havia informado na sexta-feira (18) que a polícia trabalha com a hipótese de homicídio com ocultação de cadáver em relação ao caso do bebê de 1 ano e 9 meses, Wesley Carvalho Ferreira.

A família alegou que a criança teria sido sequestrada na praça da Bandeira, no Centro de Teresina, no dia 29 de dezembro de 2021. Um dos pontos que levantou a suspeita da polícia, é que o Boletim de Ocorrência foi registrado apenas no dia 9 de fevereiro, 42 dias após o suposto sequestro, e foi a tia da criança que registrou a ocorrência. Além disso, nenhum pertence do casal foi levado pelos supostos criminosos.

A família morava em Altos, mas após o desaparecimento da criança se mudou para a cidade de Teresina. A polícia já realizou uma perícia na casa de Altos, para tentar encontrar provas do que pode ter acontecido com a criança, inclusive encontraram várias roupas jogadas em um terreno. Essas roupas foram recolhidas pela perícia.

A Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA) prendeu nessa segunda-feira (21), os pais e dois avós do bebê Wesley Carvalho Ferreira. 

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.