ad16
AutoPECASonline24.pt
GeralTodas as Notícias

MPF-PI volta a cobrar medidas para construção da Adutora do Sertão

O Ministério Público Federal no Piauí voltou a cobrar ações para que a Adutora do Sertão, obra que deve resolver o abastecimento de água para 600 mil pessoas no estado, possa sair do papel. O procurador da República Kelston Pinheiro Lages ressalta que o Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CNHR), do Ministério do Meio Ambiente, já aprovou moção para que o Governo do Estado regularize o uso de águas superficiais e subterrâneas do Vale do Gurgueia. 

Procurador da República Kelston Pinheiro Lages
Procurador da República Kelston Pinheiro Lages

“É mais uma entidade e com posição técnica destaque-se, que se soma às demais a favor viabilidade da Adutora do Sertão que visa a exploração do grande manancial de água que existe no Vale do Gurguéia para acabar de forma definitiva com o grande paradoxo que existe no estado do Piauí há décadas e que se renova todos os anos por conta do descaso dos gestores públicos: abundância de água x pessoas e animais morrendo de sede”, disse o procurador. 

Kelston Lages afirmou esperar que o governador do Piauí e outros gestores públicos e agentes políticos acatem a moção e contribuam para que a obra seja realizada. O procurador ressalta que a Operação Carro Pipa já dura 16 anos e custa R$ 120 milhões por ano, recurso que já seria suficiente para a construção de duas adutoras. 

O tema volta a ser destaque na semana em que tomou posse o novo presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Avelino Neiva. Em entrevista para a TV Cidade Verde, ele garantiu que será dada continuidade ao estudo do projeto para execução da adutora. 

A previsão é que a Adutora do Sertão possa atender 51 municípios do semiárido. A moção do CNHR recomenda que sejam adotadas medidas por meio dos órgãos competentes para se regularizar o uso das águas do Vale do Gurgueia, em especial no controle da vazão dos poços jorrantes com hidrômetros. A intenção é evitar o uso inadequado do manancial e garantir o abastecimento de comunidades do semiário. 

Em 2015, a Justiça Federal deferiu pedido de liminar em ação movida pelo MPF-PI e Ministério Público Estadual para que o projeto-básico da Adutora do Sertão fosse elaborado no prazo de quatro meses, sob pena de multa. 

Cidade Verde

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade