ad16
AutoPECASonline24.pt
DestaquesTodas as Notícias

Número reduzido de Negros no mercado profissional passa despercebido pela população

No país, onde de acordo com o IBGE, a população negra corresponde a mais de 50% dos brasileiros, no cenário profissional e em algumas áreas específicas como o Direito, a Medicina e a Engenharia, o número de negros são reduzidos.

Comemorado no dia 20 de Novembro, o dia da Consciência Negra reúne ações de combate ao racismo e faz menção a morte de Zumbi dos Palmares, um dos maiores líderes quilombolas do Brasil. O dia trás discussões étnicos-raciais sobre situações da qual nos deparamos no dia a dia ou que passam despercebidos pela sociedade atual.

No país, onde de acordo com o IBGE, a população negra corresponde a mais de 50% dos brasileiros, no cenário profissional e em algumas áreas específicas como o Direito, a Medicina e a Engenharia, o número de negros são reduzidos. Em todo o país, o número de Médicos Afrodescendentes não passam de 18%, enquanto o de Advogados não chegam a 5%. Essa exceção muitas vezes passa despercebida por muitos. Você sabe dizer quantas vezes se consultou com um Médico Negro ou quantas vezes precisou do serviço de um Advogado Negro em Picos?

A sociedade define algumas profissões como sendo elitistas e como elas descendem da alta “casta da colonização” são profissões que provocam o embranquecimento, isso se dá porque a sociedade em sua maioria define que negros não exercem profissões de destaque ou que exijam um nível de escolaridade alto, refletindo a desigualdade de cor e raça no mercado de trabalho Picoense e brasileiro.

Advogada Joicyara Bernardes

Joicyara Bernardes, Advogada e Professora, especialista em Direito Penal e Processo Penal, Vice-Presidenta da Comissão de Igualdade Racial da ABACRIM/MA e Ex-Presidenta da Comissão de Apoio à Vítima de Violência OAB/ Sub-Seção Picos-Pi, diz que o dia 20 de Novembro “é uma data específica para a discussão e para o empretecimento do nosso calendário, que de uma forma crítica é um calendário branco, é o único dia do calendário dedicado a história do nosso povo”.

Historiadora e Mestranda Gutiele Gonçalves

Gutiele Gonçalves, Historiadora e Mestranda em História das Ciências e da Saúde na Fiocruz -RJ, fala que “nós, a população negra, lutamos todos os dias de diferentes formas pela vida e contra o racismo e opressão, principalmente por estarmos em um país marcado pela desigualdade social e opressão”.

Joicyara Bernardes, acrescenta ainda que o dia 20 de novembro é de uma importância grandiosa e quando se analisa o mercado de trabalho em Picos, observa-se que embora a cidade tenha uma quantidade grande de negros ele ainda é tão branco quanto a nível de Brasil.

O racismo ainda existe, tanto de forma estrutural quanto de forma institucional, ao analisarmos a Cidade de Picos não se tem conhecimento de nenhum Engenheiro negro, nem Médico Negro e a cidade conta com mais ou menos 5 Advogados Afrodescendentes.

A Advogada explica que isso se dá ao fato dessas profissões serem tidas como de elite e exigirem dos negros padrões brancos como por exemplo mulheres alisarem o cabelo, fazer bastante uso de protetor solar para não escurecerem ainda mais a pele, no caso dos homens manterem sempre o cabelo cortado e andarem sempre bem vestidos.

Todas essas questões embasam ainda mais a importância da manutenção da data no calendário e também a cobrança de que ela seja comemorada como deve ser comemorada.

Gutiele acrescenta, que se tem muito pelo que lutar ainda, o combate ao racismo estrutural, enfrentamento e discriminação cultural ou religiosa de matriz africana, contra desigualdades raciais e de gênero, por mais oportunidades de emprego principalmente nas profissões ditas como de elite.

Em Picos em uma pesquisa boca a boca, as pessoas dizem não terem lembrança de já terem se consultado com um médico negro na cidade e algumas poucas falaram ainda que tem lembranças apenas dos médicos cubanos do programa mais médicos, fora eles não lembram de nenhum outro.

O negro na medicina reflete situações bem conhecidas, a de não ter as mesmas oportunidades ou chances de crescimento social, porque a sociedade ainda se mantém preconceituosa com “gente de cor” em “profissões de brancos”.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade