ad16
PolíticaTodas as Notícias

PDT diz que só vai se posicionar sobre eleições no Piauí em 2022

O partido garante que só escolherá um lado ou até mesmo um candidato para disputar as eleições, no ano que vem.

O PDT do Piauí ainda não sabe para onde vai quando o assunto é a sucessão no Palácio de Karnak em 2022. O partido, que ainda luta para definir um nome para comandar a sigla no estado e encerrar a intervenção do diretório nacional, garante que só escolherá um lado ou até mesmo um candidato para disputar as eleições, no ano que vem.

“O PDT do Piauí tem uma posição firme desde o início: eleição majoritária só no ano que vem. Ciro Gomes é pré-candidato a presidente e vamos priorizar a formação de chapas proporcionais aqui no estado, tanto deputado federal como estadual. Montando essas chapas e levando essa mensagem do Ciro Gomes, interiorizando o partido, aí estaremos preparados para sentar e tratar das eleições majoritárias aqui no Piauí”, disse o vereador Evandro Hidd em entrevista à TV Cidade Verde.

Segundo o parlamentar, existe sim a possibilidade de uma candidatura própria. “Estamos conversando com vários segmentos. Estamos vendo vários pré-candidatos, mas efetivamente quem serão os candidatos? Isso pesa muito na decisão e escolha do PDT com relação as eleições estaduais do ano que vem. Existe a possibilidade de candidatura própria ou de composição majoritária. Tudo isso está sendo avaliado pelo PDT tanto em nível nacional como estadual. A decisão que nós tomarmos vai seguir a orientação nacional”, garante.

Foto: Roberta Aline

Intervenção 

Em intervenção desde 2019 e sob o comando do ex-prefeito de Timon, Chico Leitoa, o PDT tenta reencontrar seu caminho no Piauí. Para Evandro Hidd, tudo está perto de um desfecho.

“A gente vem acompanhando isso (intervenção) desde 2019. Ressalto aqui a importância do Chico Leitoa no PDT, tanto em nível nacional como local no Maranhão e aqui no Piauí. Ele tem uma vida no partido. Ele tem ajudado muito. Tudo a seu tempo tem sido resolvido. Nós conseguimos passar pela batalha que foi 2020 com as eleições municipais. Estamos conseguindo reestruturar o partido e tudo ao seu tempo será solucionado”, afirma, garantindo que a sigla está sendo reestruturada.

“Temos o partido reestruturado e no momento certo nós teremos essa definição (novo presidente), que está mais perto do que longe”, afirma Hidd.

Leitoa assumiu o partido em novembro de 2019 em razão do litigio político que envolve o deputado federal Flávio Nogueira e a direção nacional do partido.

Cidade Verde

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade