ad16
GeralMunicípiosSaúde

Prefeitos da região de Picos deixam cidades sem dinheiro para saúde

[ad#336×280]Cento e cinquenta e dois, dos 224 municípios do Piauí, vão ficar sem repasses do Ministério da Saúde para atenção básica em saúde porque as prefeituras deixaram de enviar ao Governo do Estado informações sobre a qualidade da água utilizada pela população das cidades. O dinheiro, que varia de município para município, é repassado a cada quatro meses. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, desde o início do ano, nenhuma informação é repassada pelas prefeituras das 152 cidades.

Da região de Picos, os municípios de Geminiano, Jacobina, Bocaina, Curral Novo, Caridade, Alegrete, Isais Coelho, Santa Cruz do Piauí e Aroeiras do Itaim estão na lista.
A informação é do coordenador de Vigilância em Saúde Ambiental da Secretaria de Saúde do Piauí  – Sesapi, Inácio Lima. Ele disse que mais de 67% das prefeituras deixaram de enviar para o Governo do Estado a situação da água usada pela sua população.Mesmo com estas obrigações, Inácio Lima ressaltou que 152 municípios não prestaram qualquer tipo de informação desde o início do ano. “Na verdade, 106 não informaram nada e 46 fizeram o cadastro de onde é recolhida a água fornecida à população, mas não fizeram a coleta de material para análise”, ressaltou. Ele disse ainda que a análise não é feita em todos os lugares, mas sim por amostragem.
Diante desta situação o Estado fica sem ter conhecimento e controle da qualidade da água fornecida para os piauienses. “A missão do governo do Estado é monitorar, alertar, informar e isto estamos fazendo. Agora, os municípios têm que fazer a parte deles”, disse Inácio Lima. Ele ressaltou que assim é impossível saber quais localidades precisam de mais atenção.
“Não temos como saber se essa água é de qualidade. Na verdade, subentendemos que ela não seja e os números mostram isso. O primeiro motivo de internação hoje são infecciosas e parasitárias, que inclui a diarreia causada pela qualidade da água”, explicou o funcionário.
Diante da situação, Inácio Lima informou que uma coordenadora do Programa Nacional de Vigilância em Saúde Ambiental Relacionada à Qualidade da Água para Consumo Humano (Vigiagua) virá para Teresina amanhã para discutir o que pode ser feito para reverter a situação.
Veja a lista das cidades:
Diário do Povo
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade