ad16
AutoPECASonline24.pt
DestaquesPolíciaTodas as Notícias

Presídio de Esperantina usa gansos para alertar fuga de detentos

Fotos divulgadas pelo Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi) mostram gansos sendo utilizados como reforço à segurança da Penitenciária Regional Luiz Gonzaga Rebelo em Esperantina, no Norte do Estado. De acordo com o diretor administrativo do órgão, Kleiton Holanda, os animais são criados no local pois fazem barulho alertando qualquer tentativa de fuga.

“Lá existem guaritas, mas não há cobertura. Não há estrutura de cercas elétricas, câmeras ou qualquer outra segurança. Quando há presos fugindo eles fazem barulho e isso alerta os agentes de plantão”, explicou o diretor.

Quando há presos fugindo eles fazem barulho e isso alerta os agentes de plantão”, explicou o diretor.
Quando há presos fugindo eles fazem barulho e isso alerta os agentes de plantão”, explicou o diretor.
Gansos da Penitenciária de Esperantina
Gansos da Penitenciária de Esperantina

Nas imagens é possível observar a guarita sem telhado e a falta de segurança para conter os 300 detentos presos neste momento na penitenciária. Segundo o diretor, cinco agentes por plantão fazem a guarda aos detentos.

“Eles foram levados pelo antigo diretor da unidade e é uma vergonha criar esses animais já que eles não resolvem problema nenhum. Isso virou motivo de piada e até emissoras de Berlim já pediram vídeos para divulgar esse assunto”, desabafou o diretor.

Ainda segundo Kleiton, apenas um policial militar faz a cobertura do presídio pela parte superior, onde tem uma maior visibilidade. “Contamos com os gansos porque eles realmente ajudaram a impedir fugas, mas com certeza essa medida não é a ideal”, pontuou o diretor.

Somente em 2015 já foram registradas 10 mortes dentro de presídios do Piauí. “E esse número pode subir, caso medidas urgentes não sejam tomadas”, completou Kleiton.

Fonte: Cidade  Verde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade