ad16
SaúdeTodas as Notícias

Sesapi vai pagar as prefeituras R$ 1,50 por dose cadastrada para agilizar vacinação no Piauí

O atraso no registro tem feito com que o estado figure com uma baixa cobertura vacinal.

O Governo do Piauí vai pagar R$ 1,50 por dose registrada no vacinômetro, ou seja, no sistema da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) que comprova a quantidade de vacinas aplicadas contra a Covid-19. O atraso no registro tem feito com que o estado figure com uma baixa cobertura vacinal. Para se ter uma ideia, até o momento, foram distribuídas 1 milhão 499 mil 527 doses e há apenas o registro de aproximadamente 1 milhão 75 mil 902 doses, ou seja, uma diferença de mais de 423 mil 625 vacinas que as cidades já podem ter aplicado, mas não constam no sistema. 

A vice-presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Piauí (Cosems-PI), Leopoldina Cipriano, esclarece que a lentidão no registro da vacinação se deve a fatores como falta de computadores, internet e, principalmente, material humano. Ela diz que em algumas cidades, há apenas uma pessoa para registrar os dados. Além do vacinômetro da Sesapi há ainda os dados que devem ser repassados para o Governo Federal, o que é feito em uma plataforma diferente. 

“Para registrar, eu tenho que inserir o nome do usuário, cartão do SUS, data de nascimento, nome da mãe, lote da vacina, data da aplicação, tipo de vacina e o aprazamento. Esses dados são para o Governo Federal e os dados são enormes. Além disso ainda tem o registro que deve ser feito no sistema do Governo do Estado com faixa etária e quantidade. A gente contrata um monte de gente pra fazer a vacina, mas a logística do sistema é complicada para inserir todas essas informações. Anotar é muito mais complicado do que vacinar. O que demora no processo de vacinação não é vacinar, é a anotação”, explica a vice-presidente do Cosems.

Leopoldina Cipriano, que também é secretária municipal de Saúde de Miguel Alves, conta que resolveu treinar toda a equipe de vacinação para acelerar o registro das doses aplicadas.

“Enfermeiros, técnicos em Enfermagem e toda a equipe para a gente fazer uma força-tarefa. Mas é muito demorado. Em Miguel Alves, pessoas a partir dos 45 anos começam a ser vacinadas na quinta-feira (17), mas não consigo colocar no sistema. Na cidade, já vacinamos acima dos 50 anos, na semana passada. Miguel Alves está avançando, mas eu não consigo provar isso porque ainda não está no sistema. A grande maioria dos municípios tem apenas uma pessoa para inserir esses dados e não é só inserir, pois tem que ter equipamento”, explica Cipriano. 

Incentivo de R$ 1,50 por dose aplicada
O pagamento do incentivo de R$ 1,50 por dose registrada começa a valer a partir da data da publicação da resolução e será válido para os registros efetuados no prazo de 30 dias após a publicação. 

“Nós destacamos aqui que essa medida visa ampliar o registro fiel de informações do andamento da imunização piauiense contra a Covid-19. Um registro mais fiel da realidade permite a tomada de decisões que se adequem melhor ao momento do estado no campo da imunização, além de outros pontos como a própria informação para a população entender como seguem os nossos esforços nessa árdua batalha”, explica o secretário da Sesapi, Florentino Neto.

Florentino Neto, Secretário Estadual de Saúde

Cristiane Moura Fé, Diretora de Vigilância em Saúde, explica que será feito uma análise do período de 30 dias, a partir da data de publicação da resolução da Comissão Intergestora Bipartite (CIB), sendo encaminhado o incentivo para os 224 municípios referente aos registros feitos dentro do prazo de 30 dias.

“Faremos esse corte para analisar a quantidade de registros feitos por cada município e podermos repassar corretamente o incentivo acordado na reunião da CIB. Será um apoio para os municípios atualizarem fielmente seus dados de vacina e assim possibilitar o governo do estado traçar novas estratégias baseados em dados atualizados”, destaca a diretora.

A vice-presidente do Cosems acrescenta que gestores dos 224 municípios vão receber orientação para treinamento da equipe e atualização do cadastro. O pagamento de R$ 1,50 por dose registrada poderá ser investido na compra de equipamento, instalação de internet, entre outros. 

“Pode comprar computador, contratar pessoal, qualificar, instalar internet. Acredito que em um prazo de 15 dias, a gente consegue atualizar o vacinômetro. A partir desta semana, o Cosems começa a fazer reuniões com todas as regiões de saúde, com 100% dos municípios do Piauí”, finaliza Leopoldina Cipriano. 

Cidade Verde

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade