ad16
DestaquesSão Julião

Sozinho em roça, jovem é picado por cascavel e é socorrido a tempo em São Julião

Marciano Virgílio conseguiu ser socorrido a tempo ao Hospital Regional Justino Luz em Picos. A serpente possui um dos venenos mais letais.

O lavrador Marciano Virgílio de Sousa, de 26 anos, passou por momentos de terror nesta segunda-feira (14), na localidade Camaratuba, na zona rural de São Julião, município localizado na região de Picos. O homem estava sozinho em uma roça da propriedade em que mora quando foi picado por uma cobra cascavel, serpente que possui um dos venenos mais letais.

Meionorte.com conversou com o agricultor Virgílio, pai do jovem, que explicou como tudo aconteceu. Segundo ele, na manhã de ontem, seu filho foi sozinho para uma roça limpar cajus quando sentiu a picada do animal, que com o susto, acabou desferindo um golpe com a enxada na cobra e a matou. 

Em seguida, Marciano Virgílio, conseguiu encontrar um primo, que o levou de moto até a área urbana da cidade e de lá ele foi levado em uma ambulância para o Hospital Regional Justino Luz em Picos, onde conseguiu ser atendido e medicado a tempo. No trajeto, o jovem sentia dores de cabeça e vomitava. 

“Ele foi para a roça limpar uns cajus e foi picado pela cobra. Ele estava sozinho e quando eu cheguei em casa ele já tinha sido socorrido. Um primo foi com ele de moto para a cidade e de lá ele foi para Picos de ambulância. Era uma cobra cascavel e ele matou ela com a enxada quando sentiu a picada. Depois ele só voltou pra casa e pediu socorro. Ele estava só na roça”, detalhou o pai. 

Marciano Virgílio de Sousa já se encontra em casa após o susto e passa bem. A ação rápida após a picada evitou cenários piores para o lavrador, pois a cascavel é a serpente cuja picada causa mais mortes no Brasil. 

Como tratar uma picada de cascavel? 

A picada de cascavel não dói, segundo diversos relatos do Instituto Butantan. Quem for mordido jamais deve fazer torniquetes ou garrotes – isso agrava a ação do veneno e pode levar à amputação do membro atingido. Também não se deve enfaixar a ferida. Pode-se lavar a ferida com água e sabão ou com soro fisiológico. 

No entanto, a melhor coisa a se fazer é levar a vítima o mais rápido possível para o hospital e, de preferência, com a cobra. Isso é importante para a identificação do animal, portanto, para a administração correta do soro antiveneno, ou antiofídico. 

Se não for possível capturar a serpente, deve-se dar uma boa olhada nela, para depois descrevê-la ao médico e ele poder aplicar o soro correto.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.