ad16
DestaquesSaúdeTodas as Notícias

Wellington Dias afirma que analisa reduzir intervalo para aplicação da segunda dose da Pfizer

De acordo com estudos as doses da AstraZeneca podem ser antecipadas de 12 para 10 semanas.

O governador Wellington Dias afirmou na terça-feira (06/07) que estuda diminuir o intervalo entre doses de vacinas, como a da Pfizer, para acelerar o ritmo de vacinação da população. A bula do imunizante prevê um período de 21 dias entre as aplicações, tendo como base os testes de segurança e eficácia da fórmula.

De acordo com o petista, o objetivo é garantir a imunização de mais de 60% da população, garantindo queda de infecção e adoecimento entre possíveis pacientes pela Covid-19.

Governo prevê antecipar a segunda dose da vacinação contra covid-19 (Foto: Ricardo Morais/ OitoMeia)

“Redução no Brasil inteiro de transmissão, casos confirmados, adoecimento e óbitos. Esse é o objetivo. Isso demonstra que com a ampliação de vacinação estamos nos aproximando. No caso, próximo de 40% da população. O objetivo é alcançar acima de 60%. Estamos discutindo reduzir prazos da Pfizer para segunda dose para podermos completar mais rapidamente a imunização. Esse é o caminho, junto com cuidar do social, que é gerar renda e empregos”, pontuou.

Recentemente, a Comissão Intergestora Bipartite (CIB), composta por membros da Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) e do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), aprovou a antecipação da segunda dose da vacina AstraZeneca, de 12 para 10 semanas no Piauí.

OitoMeia

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade