ad16
CulturaDestaques

“A arte para mim é um refúgio”, diz estudante e pintora picoense

Adassa é estudante de pedagogia e usa o dom da pintura para ilustrar o mundo.

“Não desprezes a pintura,

pois estarás a desprezar a contemplação

apurada e filosófica do universo”.

Essa frase pertence à Leonardo Da Vinci, um dos maiores pintores que o mundo já produziu e por que não começarmos a nos questionar de como vive nossos pintores regionais e locais ? A Capital do Mel possui vários deles, muitas vezes marginalizados e inviabilizados pela indústria cultural.

Hoje falaremos da pintora Adassa Moura, ela que é estudante de Pedagogia da Universidade Federal do Piauí, picoense e coloca nas telas seus sonhos, desejos e visões de mundo.

O sinestria, projeto idealizado por ela e uma amiga, que tem como objetivo divulgar os trabalhos para a comunidade de Picos e região. “A gente criou esse projeto para expor nossas artes e nossos sentimentos, porque arte para nós é sentir. Viemos mostrar como a arte pode tocar as pessoas através de nossas ideias”, afirma a jovem pintora.

Adassa / Foto: Arquivo pessoal

Para Moura, a arte de pintar é a abertura de vários portais para outros mundos e pessoas, para que elas possam enxergar a importância da arte. “A pintura para mim é sentir você mesma e isso me completa e me deixa totalmente confortável”, disse.

A pintora ainda lembra que a arte é um refúgio e que durante a pintura é possível criar vários mundos. “Eu posso criar vários mundos dentro da pintura, sou uma ilustradora de magia e foi através de um processo de depressão que a arte foi meu auxílio, ela foi essencial para mim”, lembra.

Adassa diz ainda que a arte é uma locomotiva de esperança para que possamos ser uma sociedade melhor, mais fraterna e que podemos alcançar a união de todos.

Foto: Arquivo pessoal

Questionada se na visão dela a valorização de pintores locais ainda é muito tímida por parte do poder público e pela sociedade, a pintora é cirúrgica na escolha de suas palavras. “Como sabemos os artistas locais não são valorizados, mas sabemos que em Picos é um seleiro de artistas maravilhosos e com dons incríveis e por isso se deve haver uma valorização maior por parte do poder público e da sociedade”, enfatiza.

A artista ainda aconselha aqueles que estão começando a mostrar seus dons para não desistirem da caminhada. “Continuem fazendo artes, seja ela qual for, porque a arte preenche a alma, arte é vida”, conclui.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade