ad16
CulturaDestaquesTodas as Notícias

Acontece em Picos o 1º Festival da Sanfona com mais de 70 artistas da macrorregião; veja fotos!

Evento reuniu grandes sanfoneiros de Picos e macrorregião, além do Ceará e Sergipe.

Aconteceu na tarde desta quinta-feira (16), o 1º Festival da Sanfona de Picos. O evento, que é rotineiro apenas em grandes cidades e capitais, agora é iniciado como tradição no município, na perspectiva de resgatar a cultura do forró e da sanfona.

O 1º Festival da Sanfona reuniu mais de 70 sanfoneiros, os quais são de Picos e de várias cidades da macrorregião, assim como da Paraíba e do Sergipe.

O evento é uma idealização do sanfoneiro picoense Alvino Luz, juntamente com o grupo “Sanfona Sentida”, que, no início do ano, lançou a proposta em um grupo de artistas no whatsapp e foi bem aceita. Iniciou-se então a saga para a instituição do Dia do Sanfoneiro, que foi promulgado para o dia 1º de Outubro.

“Formei o grupo no intuito de unir os sanfoneiros da região. Após isso conseguimos aprovar o Dia do sanfoneiro e agora estamos celebrando o 1º Festival da Sanfona. E a cidade de Picos só tem a ganhar com isso. Aqui estamos proporcionando um bom acesso a uma música saudável, onde de crianças a idosos podem ouvir. Além de enaltecer nosso instrumento, que é a sanfona, e nossos mestres, como Luiz Gonzaga”, relatou Alvino Luz.

O sanfoneiro afirmou que, a partir desse momento, se inicia a tradição do festival anualmente. “A expectativa é de que a partir de agora, todos os anos, no dia 1º de Outubro, realizemos esse festival”.

A Prefeitura Municipal de Picos, através da Secretaria de Cultura, deu todo o suporte estrutural para que o evento acontecesse. O secretário Marcelo Nordeste enalteceu o porte do Festival e falou da emoção que é acompanhar o festival.

“Esse é o marco inicial. Um evento dessa magnitude é um divisor de águas. Para quem curte essa cultura tradicional, é algo emocionante retratar e viver como fomos criados pelos nossos ancestrais. Picos está de parabéns por receber esse evento que só acontece em cidades com grande população, como capitais”, declarou.

De São Raimundo Nonato veio um grupo de cerca de 13 sanfoneiros. Todos fazem parte do Projeto Acordes do Campestre, que é um projeto voluntário, organizado pelo artista Sandrinho do Acordeon. Dentre eles, veio a jovem Paloma Nunes, 21 anos, sanfoneira. Ela falou sobre o início de sua vida dentro da cultura da sanfona e como a música lhe influencia.

“Comecei a cantar com 7 anos e aos 13 comecei a tocar sanfona. Nasci dentro de uma família de músicos, então o contato com a música veio desde o berço. A música é algo maravilhoso. Quando estamos tristes ou felizes, escutamos música. Então é algo que faz parte de nosso dia a dia”, disse ela.

Questionada sobre a quebra do tabu de que somente homens podem ser sanfoneiros, ela ressalta a ousadia das mulheres e firma a necessidade da representatividade feminina no meio artístico-musical.

“A sanfona era um instrumento que, até então, era dominada por homens. A mulherada, hoje em dia, está pegando para si. Antigamente era uma raridade ver uma mulher tocando uma sanfona. Já hoje em dia, em qualquer lugar que você chega, há uma mulher tocando uma. E isso é muito importante porque mostra a representatividade da mulher e é algo que deve acontecer em todas as áreas”, frisou.

O evento foi apresentado pelo ator Juscelino Moura, um dos artistas mais completos do município e região, e pelo cantor Andrews Robson, que comandou a passeata dos sanfoneiros pelas ruas de Picos.

Acompanhe os cliques do 1º Festival da Sanfona:

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.