ad16
AutoPECASonline24.pt
EconomiaGeralTodas as Notícias

Agricultores do Piauí tem até 30 de junho para renegociar dívidas do Pronaf

[ad#336×280]Agricultores e assentados tem até 30 de junho para regular as dívidas junto ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Mesmo com o fim do prazo, os trabalhadores que firmaram contratos com o programa em dezembro de 2010 alegam que tiveram problemas na safra em função da estiagem, que atingiu praticamente todo região Nordeste do Brasil, por isso não tem como pagar.

O superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Piauí, Marcos Felinto, disse que esta renegociação é fruto de uma medida provisória regulamentada pelo Conselho Monetário Nacional para o pagamento das dívidas.

“No Piauí, temos três mil agricultores que estão em débito com o Banco do Nordeste e Banco do Brasil, com relação ao Pronaf A e o Pronaf AC. Nessa medida de regulamentação é previsto que o agricultor possa liquidar a dívida ou renegociar com um prazo de financiamento de 10 anos. Assim, ele pode continuar contando com uma série de vantagens, como ser contemplado com novas ações”, informou Marcos Felinto.

O Pronaf é um programa que financia projetos individuais ou coletivos, que gerem renda aos agricultores familiares e assentados da reforma agrária.
O Pronaf é um programa que financia projetos individuais ou coletivos, que gerem renda aos agricultores familiares e assentados da reforma agrária.

O superintende explicou que os agricultores que contrataram o programa via Banco do Nordeste têm que manifestar formalmente o interesse em renegociar a dívida e assinar uma ficha até o prazo de 30 de junho. “Há uma movimentação do Incra e de deputados com intuito de prorrogar este prazo, mas nada ainda está confirmado. Para os que contrataram a dívida junto ao Banco do Brasil, os agricultores podem se dirigir ao Incra e fazer todo requerimento de liquidação dessa dívida”, afirmou Marcos.

O Pronaf é um programa que financia projetos individuais ou coletivos, que gerem renda aos agricultores familiares e assentados da reforma agrária. O programa possui baixas taxas de juros para financiamentos rurais, além de menores taxas de inadimplência entre os sistemas de crédito do País.

 Fonte: G1

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade