ad16
Alagoinha do PiauíDestaquesGeralMunicípiosTodas as Notícias

Alagoinha do Piauí é recordista em número de analfabetos: Veja o vídeo

Treze milhões de brasileiros não sabem ler e escrever. O número representa 8,7% da população acima de 15 anos. Isso significa que o Brasil não vai cumprir um pacto internacional de reduzir pela metade o analfabetismo de adultos até o fim do ano.

Segundo o IBGE, o município de Alagoinha do Piauí é o recordista em número de analfabetos do Brasil. O dinheiro para alfabetizar adultos vem do Governo Federal e o Ministério Público investiga a utilização desta verba na cidade. “Muito provavelmente esse índice constatado pelo IBGE não condiz com a realidade. Trata-se, muito provavelmente, de um número que é utilizado também para a prática de fraudes, porque essa verba relativa ao Brasil Alfabetizado é proporcional ao número de analfabetos do município”, explica Maria Clara Lucena, procuradora federal.

Alagoinha do Piauí fpoi destaque no Profissão Repórter
Alagoinha do Piauí fpoi destaque no Profissão Repórter

Por ser o município com o maior número de analfabetos, no ano passado Alagoinha tinha também o maior número de alfabetizadores. Eram 42 professores, que ganhavam R$ 400 por mês, além dos oito coordenadores, que recebiam R$ 600 mensais.

Na investigação, o Ministério Público descobriu que os coordenadores e alfabetizadores formavam as turmas, mas não ministravam aulas. Muitos dos que se diziam analfabetos, na verdade, sabem ler e escrever. “Eles davam seus nomes apenas para fazer número. Para que esses alfabetizadores e coordenadores pudessem formar turmas e assim receber suas bolsas”, explica a procuradora.

O programa é federal, mas cabe ao município acompanhar a aplicação do dinheiro. Nas ruas, a população revela que era convidada a participar do programa, apenas para que as turmas fossem preenchidas, mas o secretário municipal de Educação, Márcio Ribeiro, afirma que não tem conhecimento da prática.

Ao fim do curso, os educadores tinham que apresentar um relatório sobre o desempenho de cada aluno. Os documentos apresentados são todos exatamente iguais. Márcio Ribeiro diz não estranhar o fato dos relatórios dos alunos serem iguais. “O município é um município muito pequeno. Esses professores se encontram diariamente. Nessas conversações eles podem ter chegado em um comum e tinham o modelo dos relatórios”, diz Márcio Ribeiro.

A coordenadora do projeto no município não atendeu as ligações. Por email, o Ministério da Educação disse que cortou a verba do programa até a apuração das denúncias.

Em Alagoinha, 73% das crianças e jovens até 19 anos estão matriculados nas escolas, mas 18% dos alunos desistem antes de terminar o Ensino Médio. O trabalho no campo e o casamento tiram os adolescentes da escola antes de concluírem os estudos.

Pessoas que conhecem letras e números, mas não conseguem ler ou fazer contas são chamadas de analfabetas funcionais. Uma pesquisa mostra que esta é a condição de 27% dos adultos brasileiros. “Geralmente se somam fragilidades uma em cima da outra. Ele vem da família mais frágil, a mãe não tinha escolaridade, não pode dar atenção, ele foi para a escola mais fraca, foi ficando para trás e o professor não deu tanta atenção para ele. Reprovar também não é a solução. Você está penalizando a criança por uma falha que é do sistema como um todo. Vamos focar em fazer ela, de fato, aprender. É possível”, afirma Ana Lúcia Lima, diretora do Instituto Paulo Montenegro.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade