ad16
DestaquesGeral

Anatel anuncia a suspensão de venda de chips da TIM no Piauí

Celulares
Vereadores criticam serviço de telefonia móvel.

Estão suspensas, a partir da próxima segunda-feira (23), as vendas de chips das empresas de telefonia móvel Oi, Claro e TIM em vários estados do país. A decisão foi anunciada nesta quarta pelo presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende. As empresas, porém, não serão multadas – a não ser que descumpram a determinação de suspender as vendas.

No caso da TIM, a decisão vale para 19 estados brasileiros, enquanto que para a Oi são 5 os estados. Para a Claro, as vendas serão suspensas em três estados. Juntas, de acordo com dados da Anatel, essas empresas respondem por 70,12% do mercado de telefonia móvel do país.

No caso da Claro, a decisão engloba os estados de Santa Catarina, Sergipe e São Paulo. No que se refere à Oi, a decisão da Anatel abrange os estados de Amazonas, Amapá, Mato Grosso do Sul, Roraima e Rio Grande do Sul. Sobre a TIM, a suspensão da venda de chips engloba os seguintes estados: Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia e Tocantins.

“É uma medida extrema para arrumação do setor. Queremos que as empresas dêem uma atenção especial a qualidade da rede, principalmente com relação às constantes interrupções que têm sido sentidas no mercado. É uma solução extrema”, declarou o presidente da Anatel, João Rezende. Ele lembrou que o país terá desafios nos próximos anos, com o início do serviço 4G, com a Copa das Confederações e, também, com a Copa do Mundo de 2014.

AÇÃO DA JUSTIÇA EM PICOS

Em Picos, o Promotor de Justiça Marcelo de Jesus Monteiro Araújo,  instaurou inquérito civil para apurar as constantes falhas nos serviços de telefonia móvel com cobertura na cidade.

De acordo com o representante do Ministério Público, os cidadãos sofrem com os rotineiros congestionamentos de linhas, que impossibilitam a efetivação de chamadas. Também são frequentes as interrupções repentinas das ligações e as instabilidades na transmissão do aúdio. “É um prejuízo ao consumidor, que paga por um serviço cuja utilização é cada vez mais inviável”, destaca o Promotor de Justiça.

Do G1 / RIACHAONET

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Leia Também

Publicidade