ad16
DestaquesGeralTodas as Notícias

Câmara, Cultura e Devisa de Picos realizam reunião com promotores para tratar de liberação gradual de eventos

Durante a reunião, foi debatido com os presentes a quantidade de pessoas que poderão comparecer em cada evento.

A Câmara Municipal de Vereadores de Picos, juntamente com a secretaria de Cultura e com o Departamento de Vigilância Sanitária, realizou, na manhã desta quinta-feira (14), um encontro com os promotores de eventos da cidade para debater sobre os novos e próximos decretos que autorizam a realização de festas.

Durante a reunião, foi debatido com os presentes a quantidade de pessoas que poderão comparecer em cada evento, segundo informou o presidente da Câmara, Francisco das Chagas Sousa, o Chaguinha.

“De acordo com o novo decreto do município, os eventos podem acontecer de forma fechada e aberta, sendo o número mínimo para a primeira opção de 200 pessoas e para a segunda de 500 pessoas. Há ainda a forma semiaberta, para 400 pessoas. O Procurador do município afirmou que, a partir de agora, a prefeitura seguirá os decretos estaduais, ou seja, tudo o que for decretado a nível estadual será seguido aqui. Então, isso minimiza a situação dos promotores de eventos e traz uma segurança para que, a partir do mês de novembro, comecem a realizar os pequenos eventos para que a gente possa ter a possibilidade de realizar grandes eventos na cidade em um futuro próximo”, disse ele.

Chaguinha frisou que é necessário cumprir todas as recomendações sanitárias e que, caso isso não seja obedecido, o Ministério Público tomará de conta da situação e que pessoas podem ser penalizadas por má conduta.

“A gente tem que seguir todos os protocolos para que as aglomerações de grande porte sejam evitadas e o vírus possa não continuar se expandindo. O município não poderá se responsabilizar pelos grandes eventos. Os pequenos terão o apoio e a proteção do município no sentido de liberarmos os alvarás e as licenças ambientais e de vigilância sanitária. Se o Ministério Público entender que eles estão infringindo a lei, então terão seus direitos de realizar festa caçados. Todos terão que seguir as orientações legais para que os eventos possam acontecer e não venhamos a sofrer danos posteriores. Aos poucos as atividades retomarão e eles poderão realizar suas atividades com segurança”, destacou.

O procurador-geral municipal, Antônio José Júnior, pontuou que o único motivo pelo qual o decreto municipal ainda não se enquadrava ao estadual era pelo fato de que o gestor Gil Paraibano ainda estava receoso quanto às mortes por conta da Covid.

Considerando que estamos há 14 dias divergindo com o Governo do Estado, decidimos acompanhar o decreto estadual, em que realizaremos eventos-testes. Quando o prefeito tomou a decisão de divergir, ele estava avaliando a segunda dose da vacina na cidade. Hoje estamos com quase 50% da população já vacinada com a segunda dose, e já iniciamos os adolescentes de 16 e 17 com a primeira dose. Brevemente haverá a vacinação de 14 e 15 anos e isso nos dá uma margem de segurança dentro dos protocolos exigidos pela Devisa”, disse.

Ele informou ainda que, na próxima semana, deve ser emitido um novo decreto municipal autorizando as festas na cidade e quantidade permitida em cada uma delas.

“Ainda estamos construindo o decreto, ouvindo as Vigilâncias municipal e estadual, e acredito que, na próxima semana, o prefeito assinará o documento. No momento teremos um pouco de responsabilidade e devemos entender quando será o momento certo para aumentar essa quantidade máxima. A principal preocupação do prefeito é com as vidas das pessoas que, infelizmente, continuam falecendo. Diminuiu, mas ainda há mortes. Não aumentaremos esse número automaticamente conforme o decreto do Governador. Levaremos em consideração essa preocupação do prefeito em primeiro lugar”, frisou.

O promotor de eventos, Vandenberg Alencar, pontuou sua expectativa para a volta das festas e pediu que todos se adequem às exigências em saúde sanitária, para que a expansão do vírus permaneça contida. Ele também mencionou benefícios na realização de eventos.

“Esperamos que, daqui para a próxima semana, o município comece a seguir o decreto estadual. Isso não beneficia apenas os promotores, mas uma festa gera emprego, gera lucros para a gente, e todo mundo ganha Espero que todos exijam a vacinação, acatando a exigência do município”, concluiu.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade