ad16
AutoPECASonline24.pt
CidadeGeral

Codevasf é homenageada durante o 9º Caju Nordeste em Picos

Cajucultura
Cajucultura

O troféu Caju de Ouro foi a homenagem que o Instituto Caju Nordeste entregou à Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba), por seu papel no desenvolvimento da cajucultura, durante a solenidade de abertura do 9º Caju Nordeste, na AABB do município de Picos (PI), na última quinta-feira (28).

Além de apoiar o evento, a Codevasf participa com um estande institucional onde estão sendo divulgados os projetos e programas desenvolvidos pela empresa em sua área de atuação, com destaque para os Arranjos Produtivos Locais (APLs) apoiados pela Companhia, entre os quais se encontra a cajucultura.
Foi também entregue, in memoriam, uma homenagem a Hildo Diniz da Silva pelos trabalhos desenvolvidos nos vales do São Francisco e do Parnaíba. A homenagem foi recebida pela filha do ex-superintendente da Codevasf, Fabiana Diniz. Estiveram presentes o diretor da Área de Revitalização de Bacias Hidrográficas, José Augusto de Carvalho Gonçalves Nunes, o diretor da Área de Gestão de Empreendimentos de Irrigação, José Solon de Oliveira Braga Filho, e o diretor da Área de Desenvolvimento Integrado e Infraestrutura, Guilherme Almeida Gonçalves de Oliveira, além de técnicos e produtores de todas as Superintendências Regionais.
Programação – Todos os dias, caravanas de produtores rurais da agricultura familiar oriundos de polos produtores de caju dos estados da região Nordeste visitam e participam das ações promovidas. Dentre as principais atrações do 9º Caju Nordeste, destaque para o seminário técnico em que são apresentadas tecnologias inovadoras para a cajucultura, composto de painéis, minicursos, vitrines tecnológicas, oficinas técnicas, mesas redondas e visitas técnicas a empreendimentos bem-sucedidos. Paralelamente, acontece a Feira do Caju, com exposição, demonstração e comercialização de produtos, serviços, máquinas e equipamentos relacionados à cajucultura e às atividades agropecuárias consorciadas.
Outro atrativo do Caju Nordeste são os eventos paralelos às palestras e painéis. É o caso do festival gastronômico, no qual são desenvolvidos minicursos com produtores e profissionais de restaurantes locais mostrando receitas que privilegiam o aproveitamento do caju.
Para completar a programação, há o Caju Show, com apresentações artísticas e culturais que animam as noites dos participantes durante o período de realização do evento.
O 9º Caju Nordeste – já considerado o mais importante seminário temático dedicado ao desenvolvimento da cultura do cajueiro no Brasil – prossegue até o próximo domingo (1º), em Picos (PI). É um evento técnico, realizado anualmente em polos produtores de caju situados na Região Nordeste do Brasil, com o objetivo de contribuir com a organização, a modernização e o desenvolvimento da cadeia produtiva da cajucultura.
Cajucultura se fortalece – O estande da Codevasf no 9º Caju Nordeste será uma vitrine das ações de apoio ao desenvolvimento da cajucultura na área de atuação da empresa. Diante do potencial de produção de caju no Piauí, que ocupa o segundo lugar no cenário nacional, a empresa elaborou o Programa de Fortalecimento da Cajucultura no Estado do Piauí, tendo já executado diversas ações nos últimos dez anos, atendendo a cerca de 120 municípios e beneficiando 21 mil famílias. Os recursos envolvidos são da ordem de R$ 16,7 milhões.
Segundo o diretor da Área de Revitalização das Bacias Hidrográficas, José Augusto de Carvalho Gonçalves Nunes, “o estado do Piauí apresenta um grande potencial para o desenvolvimento da cajucultura. Desenvolver ações desta natureza reforçam a preocupação da empresa em apoiar projetos sustentáveis que considerem as vocações regionais”.
Dentre as ações destacam-se a implantação de um jardim clonal para o cajueiro anão precoce no Assentamento Marrecas, em São João do Piauí; elaboração do Plano Tático para a cajucultura no estado do Piauí e do perfil socioeconômico da Cajucultura dos Cooperados da Cocajupi (Central de Cooperativas de Cajucultores do Piauí); estruturação de uma unidade de beneficiamento de castanha e pseudofruto na região norte do estado, atendendo o município de Castelo do Piauí, e o cadastro, análise e seleção de produtores com posterior fornecimento de clones superiores, tendo sido distribuídas cerca de 7 milhões de mudas, envolvendo uma área plantada de 32 mil hectares.
Atualmente, a Codevasf trabalha na elaboração de um Plano de Gestão Sustentável da Cajucultura no estado do Piauí. Os recursos da ordem de R$ 135 mil. O governo do Estado, prefeituras municipais, associações de produtores e entidades ligadas ao setor são parceiros nessas iniciativas.
Ações trazem avanços – As ações da Codevasf, juntamente com outras desenvolvidas por órgãos públicos e pela iniciativa privada, vêm influenciando diretamente o crescimento da atividade no Piauí, o que pode ser visualizado por indicadores recentes, como área colhida (71 mil hectares), produção de castanha (31 mil toneladas ao ano) e um significativo e crescente aproveitamento do pedúnculo do caju. Para Antônio Aurino Nunes Guimarães, presidente da Associação dos Cajucultores da Região de Picos (Coopercaju), a atuação da empresa no segmento da cajucultura tem sido decisiva para o aumento da produção.
“A Codevasf tem feito um trabalho muito importante para a nossa região e para todo o estado do Piauí, principalmente no apoio à distribuição de mudas de caju enxertado (caju anão precoce). Esse trabalho tem dado uma resposta muita positiva. Por exemplo, estamos atravessando uma estiagem considerada a maior dos últimos 50 anos e a produção de caju tem sido muito pouca, cerca de 10 a 20%. Os cajueiros que estão produzindo são justamente os enxertados, como resultado desse trabalho da Codevasf”, explica.
A partir do interesse demonstrado por outros estados na expansão do Programa de Fortalecimento da Cajucultura no estado do Piauí e da necessidade de se desenvolver atividades sustentáveis dentro do Plano Brasil Sem Miséria – Desenvolvimento Regional, Territorial, Sustentável e Economia Sustentável, e considerando que as condições agronômicas existentes nos estados produtores são muito semelhantes aos demais estados de abrangência da Codevasf, a Companhia deverá investir recursos na elaboração de estudos e diagnósticos, bem como em ações voltadas para a implantação, expansão e fortalecimento da cajucultura em toda a área das bacias do São Francisco, Parnaíba, Itapecuru e Mearim.
Da Editoria de Cidades
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade