ad16
DestaquesPolíticaTodas as Notícias

Deputado Carlos Augusto busca apoio para criar IML em Picos

Os exames de corpo de delito, que deveriam ser realizados na cidade de Picos, são realizados na cidade de Floriano.

deputado Coronel Carlos Augusto (PL) propôs a união dos parlamentares da região de Picos para instalação do Instituto Médico Legal (IML) na cidade. Ele chamou a aenção dos companheiros que representam a região para uma ação voltada para aquisição do IML em Picos. As informações são do Meio Norte.

Segundo o deputado Carlos Augusto (PL), o Instituto Médico Legal (IML) de Picos funcionava dentro do hospital regional da cidade. Atualmente, os exames de corpo de delito, que deveriam ser realizados na cidade de Picos, são realizados na cidade de Floriano.

“Para quem já está em um momento de muita dificuldade, ter que pegar seu ente querido e ter que passar 10 ou 12 horas sem a sua presença é humilhante”, afirmou o deputado.

Deputado Carlos Augusto pede apoio de parlamenares para implantar IML em Picos (Thiago Amaral)

Decisão judicial

De acordo com o parlamentar, há uma decisão judicial que impede a realização dos exames em Picos. “Eu liguei para o secretário de Segurança e fui informado de que há uma decisão da Justiça do Trabalho daquela cidade que proíbe a realização dessa modalidade de exame. O povo de Picos e da microrregião não podem passar por essa humilhação. Gostaríamos que nós deputados fizéssemos uma visita ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para que possamos fazer um termo de ajuste de conduta para que possa ser concedido um prazo razoável ao Estado para a instalação de um IML no município”, explicou.

O deputado estadual Nerinho (MDB) reforçou a importância da solicitação do deputado Carlos Augusto relacioada ao IML e disse que é realmente humilhante uma família ter que pegar o corpo de um ente querido e ter que levar para Floriano.

Durante a sessão, o deputado Severo Eulálio (MDB) também se manifestou sobre a situação. “Todos nós já tivemos a oportunidade de apresentar requerimentos e despachar com o secretário. Muitas famílias sofrem com a obrigatoriedade de ver seus entes tendo que ir a Floriano em um momento de grande dor. Coloco-me à disposição para que em conjunto possamos destravar esse problema”.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade