ad16
AutoPECASonline24.pt
https://ead.uninta.edu.br/
Belém do PiauíMunicípiosTodas as Notícias

Ex-prefeito de Belém do Piauí morre aos 65 anos em Teresina

Ele estava em Teresina para tratamento de saúde e passou mal pela manhã e foi encaminhado para o hospital onde faleceu.

Faleceu na manhã desta quarta-feira (09/09), em Teresina, o poeta, escritor, cantor e ex-prefeito do Belém do Piauí, Antônio Gomes de Sousa, mais conhecido como Jurdan Gomes, de 65 anos. Ele estava em Teresina para tratamento de saúde e passou mal pela manhã e foi encaminhado para o hospital onde faleceu.

A causa da morte, segundo informações publicadas no portal É noticias, teria sido uma parada cardíaca.

Jurdan Gomes – Foto: Reprodução

Jurdan Gomes foi eleito o primeiro prefeito de Belém do Piauí em 1996 e reeleito nas eleições municipais de 2000, em ambas as oportunidades pelo PTB, mas ele ficou reconhecido em todo o Nordeste como ativista cultural com atuação principalmente na área de poesias. Ele também gravou trabalhos autorais com letras de protesto e retratando o cotidiano do sertanejo.

Jurdan e Patativa do Assaré – Foto: Reprodução/Arquivo pessoal 

MINHA TERRA ANTIGAMENTE
.
Uma galinha ciscando
No terreiro de Maria
Uns ovos numa bacia
Pra Chica vender na feira
O pretume da chaleira
Da fumação do fogão
Uma esteira no chão
Pra um pançudim se sentar
Depois comer o fubar
ficar alegre e contente
Agradecer se benzendo
Isso é mesmo que tá vendo
Minha terra antigamente

Um pote numa furquilha
Na boca um pano bordado
Um caximbo bem guardado
Nas brechas de um caritó
O retrato de vovó
Desbotado na parede
Uns tornos de armar rede
No alpendre do oitão
Uma cangai no chão
Um jumento já demente
Escute o que tô dizendo
Isso é mesmo que eu tá vendo
Minha terra antigamente

Um porco fuçando as fezes
Na cintina de padim
Maria de Joaquim
Rodando um fuso no dedo
A carreira de Zé Pedo
Atraz dum garrote manso
Nas grotas corre o remanso
No coice da enxorrada
Gangila dando risada
Sem ter um dente na frente
Simplesmente eu tô dizendo
Isso é mesmo que tá vendo
Minha terra antigamente

Dona Guidé com bravura
Implantando educação
As quadrilhas de são João
Valdir Pereira gritando
Amélia se perfumando
Zeca Galo de bituca
Teresinha mais Patuca
No cafezim da esquina
Mariano e Rosalina
Fazendo mala e refresco
Raimunda com bolo fresco
Pão de ló com café quente
Cara de sapo comendo
Isso é mesmo que tá vendo
Minha terra antigamente

Os fogos embusca do céu
Nas festas da padroeira
Cantado Santa Nogueira
Os benditos de Maria
Quando o padre se benzia
Começava a procisão
Na frente da multidão
Zé Paulino com uma cruz
Era amigo de Jesus
Católico muito decente
E os festejos acontecendo
Isso é mesmo que eu tá vendo
Minha terra antigamente

Nossa mera juventude
No futebol, serenata
Querendo iludir as gata
Dedilhando um violão
Quase morro de paixão
foi um grande desafio
Do outro lado do rio
morava a loura singela
Inda existe a casa dela
Mas ela hoje vive ausente
Eu só estou lhe dizendo
Isso é mesmo que tá vendo
Minha terra antigamente.

Hoje… hoje o tinido assombrador
Das balas de trinta e oito
Os pipocos dando açoito
Nos buracos dos ouvido
O clamor o alarido
De quem só deseja paz
Isso acontece demais
Desrespeito e rebeldia
Falo isso é hoje em dia
Falta sossego pra gente
Isso nos faz sentir dó
Sendo assim foi bem melhó
Minha terra antigamente …

AUTOR: JURDAN GOMES (27.12.214)”

Fonte: Web Piauí

Etiquetas
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade