ad16
CidadeDestaquesEducação

Lei da inclusão nas escolas deve ser implantada até abril de 2012

Quase 18% dos piauienses têm algum tipo de deficiência

Ensino de libras
Foto: Ilustração

Inclusão escolar é incluir o aluno na comunidade escolar independente de condições físicas, psico-social e de etnias. De acordo com Kaline Batista, coordenadora da Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação de Picos, a inclusão escolar “tem o objetivo de melhorar a condição humana de quem tem deficiência, pois até então, os alunos deficientes eram segregados no seu ambiente familiar, distanciados da vida social. As pessoas precisam ter consciência que eles também são capazes de desenvolver qualquer atividade”, declara.

A lei 10.436, de 24 de abril de 2002, regulamenta o Ensino Superior de libras e braile, para o trabalho nas escolas estaduais e municipais em todo o Brasil. A aplicação dessa Lei diz respeito à aprendizagem da comunicação com os deficientes auditivos e visuais que estão nas escolas regulares. A lei deve ser implantada até abril de 2012, tendo em vista que de acordo com a própria administração da APAE, quase 18% dos piauienses têm algum tipo de deficiência.

Conforme a coordenadora Kaline Batista, a Lei não inclui apenas o ensino de libras para os surdos, mas também o ensino de braile para os cegos. Além desses existem os surdo- cegos que se comunicam por libras tátil ou pelo “ta doma”, sinal utilizado por eles para se comunicarem por meio da fala. Para os cegos, existem materiais didáticos em áudio- descrição que facilita a ampliação do seu imaginário e o descobrimento do mundo em sua volta. A Lei aprovada altera o capítulo sobre educação especial da lei 9.394/96.

Já existem alunos com necessidades especiais nas escolas. O fechamento das APAES foi uma forma de forçar a inclusão dos deficientes na escola regular. “O fato é que a inclusão nas escolas é direito de todos e, a obrigatoriedade do ensino de libras e braile nas escolas é mais uma forma de garantir essa inclusão”, afirmou a coordenadora. Apesar de não ter ocorrido uma formação para os professores lidarem com alunos deficientes, a Secretaria Municipal de Educação já está preparando os professores com palestras, congressos e cursos de extensão

[ad#ad-3][ad#ad-3]
Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade