ad16
Campo Grande do PiauíMunicípiosTodas as Notícias

Lutando contra o câncer há 4 anos, idosa pede ajuda para voltar para Campo Grande do PI

Expedita Marcelina Bezerra da Silva, de 64 anos de idade, mãe de três filhos, foi diagnosticada com câncer no útero e desde então, tem lutado pela vida.

Foi no ano de 2014 que uma triste notícia abalou uma família do pequeno município de Campo Grande do Piauí. A senhora Expedita Marcelina Bezerra da Silva, de 64 anos de idade, mãe de três filhos, foi diagnosticada com câncer no útero e desde então, tem lutado pela vida.

Assim que descobriu a doença, ela começou a se tratar, durante dois anos, com a ajuda da família, dona Expedita realizou um tratamento em Teresina, mas devido a algumas dificuldades, a idosa passou 6 meses sem receber o tratamento, período em que o câncer se espalhou pelo corpo. Não conseguindo mais o tratamento na capital do Piauí, a família se mobilizou para levar a idosa para São Paulo, onde está atualmente.

Expedita Marcelina Bezerra da Silva, de 64 anos- Foto: Reprodução

A filha de dona Expedita, Simone Expedita de Sousa, que reside em Campo Grande do PI, falou ao Cidades Na Net, sobre as lutas enfrentadas pela mãe. “Depois que não conseguimos mais o tratamento para ela em Teresina, meu irmão, que mora em Paulínia, e nós, resolvemos levar ela para lá. Ela foi em fevereiro do ano passado e ficou lá durante 9 meses realizando o tratamento, depois desse período a médica liberou ela para passar 4 meses aqui no Piauí, mas ela só ficou 2 meses, pois começou a se sentir mal aqui e teve que voltar de novo para Paulínia para voltar ao tratamento” explicou a filha.

Ao voltar para Paulínia, em São Paulo, dona Expedita começou a realizar a Quimioterapia, mas após dois dias ela começou a se sentir mal e após exames descobriu que estava com uma forte infecção. “A médica começou a `Quimio´, ela foi para casa, mas com dois dias começou a ficar fraca, então meu irmão levou ela novamente na clínica para tomar uma soro, pois quando ela tomava um soro ficava mais forte, mas dessa vez ela tomou e continuou fraca, então meu irmão levou ela ao hospital e ao fazer uma bateria de exames descobriram uma infecção muito grave” contou Simone.

Desde então, Expedita Marcelina está internada e os médicos afirmam que suas chances são mínimas. “Ela está internada e os médicos não liberam ela para vir para o Piauí, dizem que na situação em que ela está não tem condições e que a chance dela é zero, mas eu acredito que para Deus nada é impossível” falou.

Em São Paulo, os dois filhos, Sivaldo e Sivone, cuidam da mãe no hospital, mas o desejo dela e dos filhos é que a mesma melhore para que possa voltar a sua terra natal, o povoado KM 80, em Campo Grande do PI, pois o desejo dela é passar os últimos dias em sua cidade e lá ser sepultada.

Simone conta que a família já gastou muito com o tratamento da mãe e por isso, não tem condições financeiras de trazê-la para o Piauí. “Desde o começo do tratamento já gastamos muito e não temos condições de trazer ela para cá, então o que nos resta é pedir ajuda aos parentes, amigos e a quem puder ajudar” relatou.

Em busca de ajuda, a família lançou uma campanha e pede a colaboração de quem puder ajudar.  A família disponibilizou duas contas para doações: Conta Poupança da Caixa – Agência: 0639 013 e Conta: 00068 492- 5, em nome de Simone Expedita de Sousa (Filha) e Conta Poupança da Caixa – Agência: 0860 013 e Conta : 00037753-6, em nome de Eliza Maria Reis Farias (Nora).

Fonte: Cidades Na  Net 

Tags
LER MATÉRIA COMPLETA

Leia Também