ad16
DestaquesGeralTodas as Notícias

Moradores reivindicam a manutenção de trecho da estrada que liga Picos a Aroeiras do Itaim

A estrada está cheia de buracos, com matagal alto e sem iluminação, segundo os residentes da região.

Falta de iluminação, buracos na estrada e o matagal invadindo a via. Esta é a situação enfrentada pelos moradores do loteamento Sá Urtiga e da vizinhança, que realizam, diariamente, o trajeto do centro de Picos à referida comunidade e vice-versa, a fim de efetuarem suas atividades de trabalho e outras quaisquer.

O risco de acidentes é algo passível de acontecer com qualquer um, sem falar nos assaltos que têm crescido na região. Isso tudo porque os moradores, além de não terem iluminação no trecho que liga o bairro Boa Vista à Fazenda Torres, ainda precisam, muitas vezes, diminuir a velocidade dos carros e motos para evitarem acidentes.

A população tem clamado por providências por parte das autoridades locais. A gerente administrativa Simone Carvalho, enfatizou que a situação vivida pelos moradores da região já passou dos limites.

“A situação dos buracos e iluminação da estrada que dá acesso ao loteamento Sá Urtiga encontra-se numa situação precária. Nós, moradores, estamos sujeitos a acidentes e assaltos constantemente. Na verdade, hoje a buraqueira causa transtornos em toda a cidade de Picos, mas no trecho do final da Boa Vista até o loteamento a situação já passou dos limites”, reclamou a moradora da comunidade.

Ela disse ainda que, muitas vezes, o risco de acidentes aumenta porque os motoristas têm que invadir a mão contrária para não caírem em um buraco. A isso, soma-se a falta de iluminação pública.

“Para desviar dos buracos os carros e motos têm que invadir a contramão ou entrar dentro do matagal, podendo acontecer acidentes. Outro fator que contribui para o caos é a falta de iluminação pública. O trecho não tem um poste sequer, e quando entramos no loteamento, quase todos os postes estão com as luzes queimadas. Procuramos a pessoa responsável na prefeitura e foi repassado que não tem material para resolver o problema! Esperamos que isso seja solucionado logo, antes que acidentes graves aconteçam!”, apelou.

Outro morador do loteamento é o administrador de empresas Íkaro Pinheiro. Ele apontou que a população da comunidade já procurou as autoridades responsáveis, e que elas alegaram que nada pode ser feito, pois se trata de uma PI. Ele reivindicou, então, que devolvam o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana – IPTU.

“A situação dos moradores aqui do Alto da Boa Vista, no loteamento Sá Urtiga, está horrível. A buraqueira é terrível. O secretário de Obras falou que não vai arrumar a estrada porque ela é PI. Então, já que é PI, que nos devolvam o IPTU, que a gente arruma essa buraqueira. Já que não vão arrumar a buraqueira que está na estrada que dá acesso às nossas casas, então eles não precisam de nosso IPTU. Já quebrei raio da moto, já furei pneu dela. Você tira o veículo de um buraco e cai em outro. O matagal está ‘comendo’ a estrada toda. Quando você está em um carro, você tem duas opções: ou desvia de um buraco e cai em outro, ou joga para o acostamento e tem o veículo todo ralado pelo matagal para poder desviar dos buracos maiores”, reclamou.

O administrador falou ainda sobre a taxa de iluminação pública que está sendo paga, mas que não há retorno para os moradores da região.

“A situação está triste. Nosso bairro está abandonado. Aqui há várias lâmpadas queimadas. Se estão pegando nossa contribuição da taxa de iluminação pública, onde estão colocando? Se não têm como comprar, que devolvam o nosso dinheiro que a gente compra essas lâmpadas”, falou.

A moradora Rosa Sousa, residente na comunidade Mesa de Pedra, área rural de Picos e que fica após o loteamento Sá Urtiga, também reclamou da situação enfrentada pelos picoenses da localidade.

“Aqui estávamos com esse problema desde o bairro Passagem das Pedras até aqui na Mesa de Pedra. Eles estão lá consertando, mas aqui não vemos perspectivas disso acontecer. Somos picoenses do mesmo jeito que os demais. Não é porque moramos mais afastados do Centro da cidade que devemos ser esquecidos. Cumprimos com nossas obrigações de impostos do mesmo jeito. A diferença é que nada é feito aqui. Só queremos que nossas autoridades olhem para nossa comunidade e vejam que isso é um problema que pode tirar vidas, destruir famílias. Já vimos isso acontecer, mas não podemos continuar a ver”, clamou.

A equipe do Portal RiachãoNet entrou em contato com o Secretário de Defesa Civil, João Araújo, que comprometeu-se a vistoriar a localidade na manhã desta quinta-feira (13) e dar uma resposta sobre a situação.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade