ad16
EducaçãoTodas as Notícias

‘Não há possibilidade de cancelar o Enem 2017’, diz Inep após operação contra fraudes no Ceará

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disse nesta quarta-feira (8) que descarta cancelar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 após operação da Polícia Federal (PF) no Ceará prender quatro pessoas suspeitas de participar de fraudes em concursos públicos. Não há indícios de fraude no Enem 2017, segundo a PF.

O Inep afirma que trabalha em parceria com a PF. “Não há, portanto, possibilidade de o Enem 2017 ser cancelado já que as ações da Polícia Federal estão alinhadas com o Inep e o MEC. É importante, neste momento, que os participantes mantenham a calma para a aplicação do segundo dia de provas no próximo domingo, 12 de novembro”, afirma o Inep.

Em nota, o instituto responsável pela aplicação do Enem disse ainda que “apesar da parceria, o MEC e o Inep não irão comentar” a Operação Adinamia. Na tarde desta quarta-feira, a Polícia Federal afirmou que prendeu quatro pessoas suspeitas de fraudar o Enem 2016 e outros concursos públicos: duas pessoas foram presas em Fortaleza e outras duas na cidade de Lavras da Mangabeira, Região do Cariri, no Sul do Ceará.

O governo diz que, no primeiro domingo de provas, dois delegados da Polícia Federal fizeram parte do grupo estratégico de monitoramento do Exame, coordenando, de dentro do Inep, as equipes que atuavam no monitoramento em diversos pontos do país.

Além disso, o órgão lembrou que, no segundo semestre de 2017, o Inep anulou o resultado de 13 participantes do Enem 2015 e 2016 envolvidos em fraudes, que perderam o direito às vagas nas Instituições de Ensino Superior onde já estavam matriculados.

“A operação batizada como “Jogo Limpo” foi deflagrada pela Superintendência Regional no Maranhão e foi dividida em duas fases. A primeira apurou os casos de 2015 e a segunda fase, os casos de 2016. A Polícia Federal chegou às quadrilhas e aos participantes a partir do fornecimento de dados do Inep”, informa o órgão.

 
 

G1 Piauí 

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade