ad16
AutoPECASonline24.pt
DestaquesTodas as Notícias

Pediatra alerta para inflamação grave em crianças associada ao coronavírus

A pediatra Brenda Lucena alerta que os pais devem ficar atentos a alguns sintomas, principalmente febre acima de 38° por mais de três dias, e levar as crianças imediatamente ao médico.

Crianças estão sendo vítimas de uma reação inflamatória grave e sistêmica associada ao novo coronavírus, a Síndrome Multissistêmica Inflamatória Pediátrica (PIMS). A pediatra Brenda Lucena alerta que os pais devem ficar atentos a alguns sintomas, principalmente febre acima de 38° por mais de três dias, e levar as crianças imediatamente ao médico. 

A especialistas alerta que, no Brasil, a doença tem atingido, principalmente, crianças na faixa etária abaixo de cinco anos de idade. 

Pediatra Brenda Lucena – Foto: Reprodução/Cidade Verde

“No nosso estado já temos dois óbitos: um bebê de 1 ano e cinco meses  e outro de três meses. Ambos foram expostos à Covid-19 e desenvolveram uma reação inflamatória grave. Aqui fica meu alerta: continuem com as consultas de rotina com o pediatra. As mães estão com muito medo de levar os filhos ao hospital. Mas se perceberem que a febre não passa, a criança empola o corpo, tem diarreia e vômitos que não cessam, dores abdominais fortes, inchaço nas mãos e pés, conjuntivite e, principalmente, febre acima de 38° por mais de três dias, sem foco aparente, procurar o pediatra para a gente excluir essa síndrome. Importante falar que quando mais cedo o diagnóstico, mais cedo o tratamento e a gente reduz a mortalidade”, explica a pediatra Brenda Lucena. 

Em entrevista ao Notícia da Manhã, ela comentou também sobre um estudo da Fiocruz que mostra uma redução de mais de 80% nas internações por doenças respiratórios em  UTIs pediátricas comparado aos últimos três anos. Ela conta que os dados se refletem também no Piauí, principalmente, em relação a casos de pneumonias virais. 

“Essa queda ocorreu justamente por essas medidas de distanciamento. Lembrar que as escolas estão fechadas, a higienização das mãos, o uso de álcool em gel. Então, realmente, as crianças se beneficiaram com essas medidas de isolamento por conta da pandemia do novo coronavírus”, explica a pediatra. 

Mesmo com a redução das internações, Brenda Lucena reforça que as medidas de proteção contra o vírus devem ser mantidas também com o retorno das aulas. 

“Teremos que manter essas crianças com uma nova realidade, com distanciamento das carteiras, nas atividades. Terão que ser mais atividades individuais mesmo. Logicamente, as medidas de higienização também. Tudo isso deve ser mantido ainda por um bom tempo”, alerta a pediatra. 


Fonte: Cidade Verde/Graciane Sousa

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade