ad16
AutoPECASonline24.pt
https://ead.uninta.edu.br/
DestaquesSaúdeTodas as Notícias

Piauí registra mais de 67 mil recuperados da Covid-19

O Estado do Piauí já atingiu a marca de 67.507 curados do coronavírus

O Estado do Piauí já atingiu a marca de 67.507 curados do coronavírus, segundo dados do boletim epidemiológico, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi). 

Para que um paciente seja considero curado da Covid-19 não é necessário a realização de testes novamente, como explica o superintendente de Atenção Primária à Saúde e Municípios, da Sesapi, Herlon Guimarães.  “Estamos falando de uma doença nova, onde muitas perguntas são feitas e ainda estamos com toda comunidade científica fazendo pesquisa. Nesse primeiro momento os estudos orientam que a alta dos pacientes está condicionada aos sintomas clínicos e não por exames, porque existem pessoas que após noventa dias continuam dando positividade nos testes”, lembra. 

Cartaz mostra "102 anos" de idade, mas completará 102 anos apenas em dezembro de 2020. — Foto: Divulgação/Hospital Regional Justino Luz
Cartaz mostra “102 anos” de idade, mas completará 102 anos apenas em dezembro de 2020. — Foto: Divulgação/Hospital Regional Justino Luz

O quadro clínico ideal, segundo os especialistas, para a alta médica é a aquele que apresenta diminuição de febre, da dor de cabeça, respiração voltando ao normal o que indica que o paciente pode deixar o hospital.“Bom lembrar, que depois do décimo dia, dependendo da gravidade da pessoa, ela já não transmite mais o vírus”, enfatiza Herlon Guimarães. 

Já os pacientes que não precisaram de internação, pois tiveram sintomas leves da doença, ou assintomático, são considerados curados 14 dias após o aparecimento dos sintomas, ou da realização do teste. 

O superintende alerta ainda que a recuperação total da Covid-19 não significa que está tudo liberado. A pessoa que superou a infecção, assim como o resto da população, deve continuar respeitando as orientações das autoridades em saúde pública.  “É importante o isolamento social quando possível. E continuar adotando aquelas medidas básicas de lavar as mãos, cobrir a boca e o nariz com o braço ao tossir ou espirrar e usar máscaras”, destaca.

Ascom

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade