ad16
DestaquesSaúdeTodas as Notícias

Picos registra redução de casos diagnosticados da hanseníase

O Posto de Atendimento Médico de Picos, o PAM, registrou uma diminuição nos casos de hanseníase neste primeiro trimestre do ano.

O Posto de Atendimento Médico de Picos, o PAM, registrou uma diminuição nos casos de hanseníase neste primeiro trimestre do ano. No mesmo período, só que no ano passado, o diagnóstico foi de 9 casos, já em 2021 apenas 4 casos foram registrados, totalizando uma redução de mais de 50%.

O coordenador do PAM, Gilberto Valentim, explica que essa diminuição de casos já vinha acontecendo, mas segundo ele, os dados do primeiro trimestre apresentam uma queda muito significativa.

Coordenador do PAM – Gilberto Valentim- Foto: CCOM

“Pedimos aos colegas da estratégia de Saúde da Família que tenham uma capilaridade maior na periferia da cidade para buscar também os pacientes suspeitos de hanseníase. Nesse momento estamos impossibilitados de fazermos campanhas presenciais para o diagnóstico da hanseníase. Queremos pedir a atenção das 36 unidades de Estratégia de Saúde da Família para investigar os casos suspeitos para que possamos fechar o diagnóstico ou descartar”, explicou o coordenador.

O coordenador do PAM, Gilberto Valentim, explica que essa diminuição de casos já vinha acontecendo, mas segundo ele, os dados do primeiro trimestre apresentam uma queda muito significativa.

“Pedimos aos colegas da estratégia de Saúde da Família que tenham uma capilaridade maior na periferia da cidade para buscar também os pacientes suspeitos de hanseníase. Nesse momento estamos impossibilitados de fazermos campanhas presenciais para o diagnóstico da hanseníase. Queremos pedir a atenção das 36 unidades de Estratégia de Saúde da Família para investigar os casos suspeitos para que possamos fechar o diagnóstico ou descartar”, explicou o coordenador.

Gilberto Valentim alerta a população para que qualquer sinal ou sintoma relacionado a hanseníase que as pessoas venham a sentir, devem procurar os serviços de saúde. O coordenador destaca que mesmo em meio a pandemia os serviços estão abertos para atendimento ao público.

“Chamo atenção para os sintomas da doença, manchas esbranquiçadas ou avermelhadas em qualquer parte do corpo, sensação de ardência, queimação ou formigamento principalmente nos membros superiores ou inferiores, engrossamento dos nervos dos braços e das pernas e dores articulares, tudo isso é sintoma de hanseníase”, disse Gilberto Valentim.

O coordenador chama a atenção dos profissionais de saúde que trabalham com atenção básica para observar os sintomas da hanseníase nos pacientes, principalmente naqueles bairros e unidades de saúde que já tiveram hanseníase no passado, e posteriormente encaminhar para o PAM para que possa ser dado um diagnóstico.

CCOM

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade