ad16
DestaquesPolícia

Acusado de matar Emídio Reis preso no Pará deve chegar sexta

[ad#336×280]Outro acusado de envolvimento na morte do vereador Emídio Reis da Rocha, 50 anos, Valter Ricardo da Silva, 35 anos, o Valté, foi preso ontem em Capitão do Poço no Pará e deve chegar a Teresina amanhã(12). Ele foi preso nesta quarta(10) por policiais do serviço de inteligência do Piauí com ajuda dos policiais de Castanhal que conseguiram localizá-lo.

Os policiais do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) estiveram no Pará por dez dias fazendo diligências a procura de Valter, segundo o delegado Menandro Pedro, presidente da Greco.

De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Civil do Pará, ao ser preso, Valter Silva confirmou aos policiais do Pará envolvimento no crime e ainda narrou com detalhes desde a contratação, planejamento até a execução do homicídio.

Valter Ricardo da Silva - Foto: Polícia Civil Pará
Valter Ricardo da Silva – Foto: Polícia Civil Pará

“Após a consumação do crime, Valter fugiu para o Estado do Pará, onde ficou inicialmente escondido na cidade de Altamira, sudoeste do Estado. Depois, ele seguiu para os municípios de Capitão Poço e Castanhal, nordeste paraense”, diz a nota enviada pela assessoria da PC no Pará.

Depois de pedir auxílio nas buscas, os policiais civis de Castanhal entraram no caso e conseguiram localizá-lo e cumprir o mandado de prisão expedido pela juíza Nilcimar Rodrigues de Araújo Carvalho, da comarca de Picos.

O transferência do preso deve acontecer nesta sexta-feira(12) para a Greco, onde deve ser apresentado.

Participaram da operação policiais civis da Superintendência Regional do Salgado e do Núcleo de Apoio à Investigação e da Seccional da Jaderlândia. Valter foi preso na rua Aurélio do Carmo, bairro Goiabarana, na cidade de Capitão Poço, nordeste paraense.

Helvídio Francisco da Silva.
Helvídio Francisco da Silva.

O ex-vereador do PMDB, Emídio Reis foi morto no dia 31 de janeiro em uma estrada vicinal de Pio IX, após ser seguido desde Picos, quando retornava para São Julião. Seu corpo foi encontrado cinco dias depois em uma cova rasa com dois tiros.

Estão presos por envolvimento no crime: o vice-prefeito de São Julião, Francimar Pereira, acusado de ser o mandante, seu funcionário Joaquim Pereira Neto e Antônio Sebastião de Sá, o Antônio Virgílio, acusado de ter atraído a vítima para o crime, além de João Elísio Pereira e Vanderlei José de Sá.

Agora encontra-se ainda foragido apenas um dos suspeitos: Helvídio Francisco da Silva.

Com informações do Cidade Verde

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade