ad16
DestaquesFronteirasMunicípios

Polícia faz operação contra furto de água na adutora de Piaus na região de Fronteiras

[ad#336×280]Foi deflagrada nesta sexta-feira (26) uma operação para combater desvio de água da adutora de Piaus, na região do município de Fronteiras.

A ação foi iniciada após a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar), órgão responsável pela obra, receber denúncias de que “gatos” para furto de água estavam sendo feitos nos municípios de São Julião e Vila Nova do Piauí.

O delegado Assis Carvalho foi deslocado do município de Floriano para comandar a operação. Ele informou que tudo ainda está em fase de investigação, com levantamentos periciais para materializar o possível crime.

Em função do tamanho da adutora – 111 quilômetros -, o trabalho de investigação deve demorar e a equipe permanecer em Fronteiras por mais um dia. Policiais percorreram áreas de quatro municípios em busca de pontos de desvio de água.

Placa com o propósito da adutora: "Água de qualidade para nossa gente". Imagem: Prof. Francisco de Assis Sousa
Placa com o propósito da adutora: “Água de qualidade para nossa gente”. Imagem: Prof. Francisco de Assis Sousa
Adutora de Piaus
Adutora de Piaus

As pessoas que tiverem furto de água comprovado também deverão ser indiciadas por dano ao patrimônio público.

Testes flagraram desvio
A adutora foi construída para levar água da barragem de Piaus e enviada para São Julião, Pio IX, Fronteiras, Campo Grande e Vila Nova do Piauí, atendendo 25 mil pessoas. A obra chegou a ser visitada pela presidente Dilma Rousseff (PT) no mês de janeiro.

A previsão de inauguração era o mês de julho. No entanto, segundo o secretário de Meio Ambiente, Dalton Macambira, quando foram iniciados os testes, a água que levaria meia hora para chegar a um ponto, demorou sete horas.

“Quando a construtora que está fazendo a obra foi percorrer os 111 quilômetros, percebeu que vários proprietários de sítios tinham furado a adutora e feito um ramal para ele, roubando água tratada para irrigar plantações”, revelou Macambira.

O secretário de Meio Ambiente havia recebido a informação de que 10 pessoas foram presas até o início da tarde de sexta-feira. O delegado Assis Carvalho não confirma o número e diz que só pode falar em prisões após a materialização do crime.

O governador Wilson Martins tomou ciência da situação e determinou que as policias civil e militar agissem em conjunto para resolver o problema. Além de três delegados, fiscais da Semar foram enviados para ajudar na operação.

Com a descoberta, a inauguração da adutora levará mais tempo. “Temos que resolver o problema, processar as pessoas e retirar esses gatos para inaugurar a adutora o mais rápido possível”, concluiu Macambira.

Com informações do Cidade Verde

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade