ad16
AutoPECASonline24.pt
https://ead.uninta.edu.br/
CidadeDestaquesPolícia

Policial Militar joga spray de pimenta em detentos

Delegado Regional Éverton Ferrer
Delegado Regional Éverton Ferrer

Um episódio isolado ocorrido na última quinta-feira (4) gerou tensão entre a Polícia Civil e Militar de Picos. Um PM recém formado entrou no espaço onde ficam as celas da Central de Flagrantes e atirou spray de pimenta na direção dos detentos.

Segundo informações prestadas pelo delegado da Polícia Civil Abelardo Oliveira, o fato ocorreu enquanto a delegada Syglia Samuelle, que estava de plantão, lavrava um Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO). Ainda de acordo com ele, foi necessária a intervenção do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para que alguns presos fossem conduzidos até o hospital e recebessem tratamento adequado.

O PM foi apresentado à delegada da Polícia Civil e, em sua defesa, “confessou que tinha feito isso, mas por inexperiência; queria somente experimentar se o spray funcionava”, informou  Abelardo acrescentando que a situação gerou um “grande mal-estar entre a Polícia Militar e a Polícia Civil”.

A informação de que o agente lacrimogêneo foi usado de forma inadequada foi confirmada pelo comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar de Picos, Major Sousa Filho. “O comando do 4º BPM não concorda e não vai medir esforços para apurar o que de fato ocorreu”, declarou o Major.

Já foi tomada uma medida administrativa interna por parte do 4º BPM. Segundo o Major, o policial responsável pela ação encontra-se detido nas instalações do quartel desde a última quinta-feira.

“Esse é um policial recém formado. Não é um policial despreparado, é um policial recém saído dos bancos da nossa academia com, no mínimo, seis meses de formação”, pontuou o comandante.

Major Sousa Filho, Comandante do 4º BPM
Major Sousa Filho, Comandante do 4º BPM

Mal-estar
O Major Sousa Filho desmentiu que tenha ficado qualquer resquício de desentendimento entre a Polícia Civil e Militar. “O policial foi rapidamente apresentado e os procedimentos que cabem a Polícia Civil foram realizados. A parte que cabe à Polícia Militar também foi feita: o PM encontra-se detido aqui desde o dia do acontecido”, concluiu.

Sobre o assunto, o Delegado Regional da Polícia Civil, Éverton Ferrer, explicou que a relação com a Polícia Militar é de cordialidade e que esse é um fato isolado.

“O acesso às celas é exclusivo aos policiais civis e a entrada de PMs só acontece com autorização da Polícia Civil”, explicou o delegado regional ressaltando que o PM entrou no local sem autorização.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade