ad16
AutoPECASonline24.pt
GeralTodas as Notícias

Sem carro-pipa, famílias pagam até R$ 120,00 por água no Piauí

A seca prolongada e sem operação carros-pipa, piora a situação dos trabalhadores no semiárido piauiense. A Fetag (Federação dos Trabalhadores da Agricultura) informou  nesta quarta-feira (18) que já ocorre racionamento de água nas cisternas nos municípios mais críticos. Segundo a presidente da Fetag, Elisangela Maria dos Santos Moura, os trabalhadores estão tendo que comprar água a preço de R$ 50,00 a R$ 120,00.

Açudes estão secando em várias regiões do Piauí - Foto: Reprodução
Açudes estão secando em várias regiões do Piauí – Foto: Reprodução

No Piauí, dos 201 municípios em situação de emergência, 127 deles estão sem abastecimento através da operação carros-pipa.

Semana passada, a secretária Estadual de Defesa Civil, Simone Pereira alertou para o risco de morte humana, devido à falta de água nos municípios.
“Estive em Brasília na última segunda-feira e o que me informaram é que existem recursos, mas só pode liberar com autorização da presidente Dilma Rousseff”, disse a secretária.

Simone Pereira garante que não existe nenhuma pendência administrativa para barrar a liberação dos recursos para o Estado.
secadrama33
O governador Zé Filho (PMDB) também se irritou com a suspensão da operação carro-pipa e ameaçou romper com o governo.
A presidente da Fetag informou que as regiões mais graves com escassez de água são em Queimada Nova, Picos, Paulistana, São Raimundo Nonato, Caridade, Jurema, São Braz e Conceição do Canindé.

“Moradores estão fazendo racionamento de água nas cisternas. Se tomavam banho duas vezes ao dia, tomam apenas uma ou às vezes nem banham para economizar a água que está cada dia mais escassa”, disse Elisangela Moura.
Ela disse que não tem conhecimento de reajuste na tabela de água no semiárido. Que o tambor com 200 litros de água – que dura uma semana para quatro pessoas – custa R$ 50,00 e que a carrada  custa R$ 120,00.
“Estamos cobrando providências urgentes do governo para que evite as mortes de animais e de pessoas no Estado. A situação está cada dia pior”, disse a presidente da Fetag.
Fonte:cidadeverde
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade