ad16
DestaquesGeralSanto Antônio de LisboaTodas as Notícias

Após receber registro do Ministério da Agricultura, cachaça Chico Xique lança layout oficial

Empresário Elves Batista empreendeu no ramo de bebida alcoólica mista para valorizar a cultura do caju, fruto principal de sua terra natal: Santo Antônio de Lisboa.

“A cachaça é hoje a segunda bebida alcoólica mais consumida no Brasil, segundo estimativa do Instituto Brasileiro de Cachaça (Ibrac). Ela representa 72% do mercado de destilados no país e é um dos quatro mais consumidos no mundo. Ela foi criada no Brasil entre os anos de 1516 e 1532 e foi o primeiro destilado nascido na América Latina.” (Fonte: Canal Rural)

Visando o favoritismo da bebida e unindo ao espírito empreendedor e paixão pelos frutos oriundos de sua terra natal, o empresário Elves Batista, natural de Santo Antônio de Lisboa, inovou em lançar uma bebida alcoólica mista à base de caju: a Chico Xique.

A cachaça Chico Xique possui duas versões: 
– A Premium, que é cremosa, com uma espécie de álcool diferente, cujo teor etílico chega a 20% e os outros 80% de cajuína, sem conservantes.
– E a Extra Forte, com 33,6% de sua composição à base de álcool e o restante de suco clarificado de caju.

A Chico Xique é oferecida em formatos de 750ml e 250ml, além do kit que contém uma garrafa da bebida e dois copos de cerâmica, criado na intenção de proporcionar aos clientes algo que possa ser presenteável e que deixe lembranças, não apenas o saudosismo do gosto marcante do caju.

Lançada no dia 18 de dezembro de 2020, a bebida alcoólica mista além de ter um processo de fabricação diferenciado, conseguiu, recentemente, registro para produção e autorização de comercialização, pois a empresa atingiu a todos os critérios exigidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA.

Para celebrar o feito, a cachaça Chico Xique apresenta uma nova embalagem, contudo, contendo todos os elementos regionais do primeiro layout, os quais remetem ao sertão piauiense e cajucultura.

“Com a liberação do registro pelo Ministério da Agricultura, agora fizemos um rótulo oficial. O primeiro era enquanto não recebíamos o registro do MAPA, mas agora recebemos vamos relançar com o novo rótulo. Esse registro nos garante produção e comercialização, mas também nos põe à frente de muitos fabricantes que não estão de acordo com o Ministério. Isso para nós é um orgulho, pois mostra que estamos alcançando nossos esforços e sendo reconhecidos por eles”, disse o empresário Elves Batista.

Ele destacou que sempre teve o cuidado de se adequar aos parâmetros do MAPA, inclusive tendo a presença de um responsável técnico em sua empresa como pela criação e testagem dos produtos.

Com a empresa “Bem Leve’s”, Elves sempre primou pela exploração da cajucultura, dando a oportunidade aos agricultores de aumentarem a produção da matéria-prima e consequente venda certa. “Isso é uma cadeia, pois garante compra aos agricultores e, consequentemente, faz com que produzam mais, pois aumenta a demanda”.

O empresário afirmou que o produto foi criado com vistas de fornecer o litoral piauiense e, em seguida, ser levados aos demais da região Nordeste. Contudo, o sucesso na região de Picos tomou grande proporção antes mesmo de ser levado ao Norte do Estado. Com isso, uma parceria muito importante foi fechada com o grupo P da Silva.

“Hoje nós temos apostado no atacado por meio do distribuidor P da Silva aqui na região, pois em uma semana eles conseguiram realizar duas grandes e importantes compras. Isso mostra a aceitação que as pessoas estão tendo ao nosso produto. P da Silva possui uma ótima estrutura de vendedores e entregadores que também tem nos beneficiado”, relatou.

A cachaça Chico Xique, em cinco meses de lançamento, já alcançou diversos estados do país, tais como Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, São Paulo e outros. Elves Batista declara que a grande aceitação é pelo gosto da bebida mista.

“Estamos tendo uma grande aceitação dentro e fora do Estado, e isso se deve pelo sabor intenso e marcante do caju que deixou a bebida muito gostosa. Tivemos um trabalho bem elaborado até chegarmos em nosso produto final. Imaginei a bebida para vendas no litoral, mas me surpreendeu a aceitação e venda na região. Ou seja, alcançou meu objetivo antes mesmo de sair daqui e chegar ao litoral”, disse entusiasmado.

O farmacêutico responsável pela criação da fórmula das bebidas Chico Xique, Thales Cipriano, relatou que é realizado um processo de seleção, lavagem, extração do suco e, em uma delas, temperamento, para que chegue ao seu estágio final.

“Em nenhuma delas há adição de conservantes, corantes ou aromas artificiais. São bebidas cujo único conservante é o próprio álcool, que é diferenciado dos demais utilizados em outras cachaças, o qual traz certa cremosidade ao produto e, pelo alto teor etílico, não necessita de prazo de validade. Há uma bebida mais forte e outra mais suave, esta última utiliza, além de uma quantidade maior de cajuína (suco clarificado de caju), processo térmico”, destacou.

O empresário tem investido no ramo de bebidas e, em breve, outras sete serão lançadas, inovando em tudo o que a indústria da região tem ofertado.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade