ad16
CidadeTodas as Notícias

Após transferência, ambulantes reclamam da queda nas vendas no Shopping do Povo

Alguns comerciantes relataram que o faturamento caiu 75% em relação a quando comercializavam nas calçadas e praças

Nesta sexta-feira (20), o Shopping do Povo completa duas semanas de funcionamento. Destinado aos vendedores ambulantes que ocupavam praças e calçadas, do Centro da cidade, o espaço idealizado pela Prefeitura fica localizado em um galpão com saídas para as Ruas Monsenhor Hipólito e São Francisco, além da Avenida Beira Rio. Mas, apesar da excelente infraestrutura, comodidade e da carência de três meses para os permissionários começarem a pagar o aluguel, os comerciantes reclamam da queda acentuada nas vendas após a transferência para o local.

O vendedor de milho, Francisco Edimilson dos Santos, é um dos que acumula prejuízos nessas duas primeiras semanas no Shopping do Povo. Ele disse que anteriormente trabalhava na Praça João de Deus Filho e vendia uma média de 60 espigas por dia. Agora com a transferência para o local determinado pela Prefeitura as vendas caíram cerca de 75%. “Hoje eu estou vendendo é 15, é 20 [espigas], caiu bastante”, completou.

Preocupado com o “sumiço” da clientela, o vendedor de milho não descarta procurar o quanto antes um outro local para montar sua banquinha. “Se não melhorar daqui para segunda-feira eu vou sair fora daqui. Porque se não como é que eu vou sobreviver?”, questionou Francisco Edimilson.

Outra permissionária que se queixou da queda nas vendas é a vendedora de calçados e roupas, Aline Cristina. Ela disse que não dá para comparar o volume de vendas no Shopping do Povo com a época em que trabalhava na Praça Josino Ferreira. “As vendas eram ótimas, muito boas e com essa mudança diminuiu muito. Tem dia que a gente vende, tem dia que a gente não vende e vem só para vir mesmo”, lamentou.

Ainda que já esteja sentindo no bolso a queda no faturamento, Aline está confiante que essa situação verificada nesse início de funcionamento do Shopping Popular vai melhorar. “Eu tenho fé em Deus que até a próxima semana vai melhorar por que as Vans já estão vindo para cá”, falou esperançosa.

A comerciante, Mayara Matos, que vende aparelhos de telefone celular e acessórios, também confirmou que suas vendas diminuíram com a mudança para o Shopping Popular. Mayara frisou que faturava bem mais quando comercializava seus produtos na calçada de uma loja na Rua Abílio Coelho, ao lado do Mercado Público. “O ganho diminuiu”, acrescentou.

Apesar da redução nas vendas, ela tem esperança que isso seja passageiro. “Sempre tudo no começo é fraco, mas com fé em Deus daqui para frente melhora”.

Outro lado

O Secretário Municipal de Turismo, Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, Iata Rodrigues, classificou como natural essa queda nas vendas nesse início de funcionamento Shopping do Povo. Na avaliação do gestor, toda empresa quando muda de endereço passa por esse desconforto inicial. Ele disse ainda que a pasta está planejando estratégias para aumentar o fluxo de pessoas no local.

Entre os artifícios que serão utilizados estão: uma promoção que consiste no sorteio de eletrodomésticos para quem fizer compras no Shopping do Povo, a produção de um vídeo viral para ser compartilhado nas plataformas digitais divulgando o espaço, a criação de um ponto de embarque e desembarque de passageiros do transporte alternativo, a disponibilização de Internet grátis para que os comerciantes possam fazer propaganda dos seus produtos nas rede sociais e a instalação de um lava-jato. “Nós estamos negociando também a vinda de um supermercado, uma farmácia e ainda um Tudo de Banco”, concluiu.

Fonte: Portal o Povo

Tags
LER MATÉRIA COMPLETA

Leia Também