ad16
EducaçãoTodas as Notícias

Brasil: distante da volta segura às aulas

Estudos pelo mundo mostram que crianças têm uma carga viral bem parecida com a dos adultos.

Preocupação constante de pais e professores o retorno as aulas presenciais é algo que traz insegurança a todos. E aos estudantes, uma sensação de incerteza que tem perdurado desde o início da pandemia.

A situação que se estende e preocupa diante das contaminações que acontecem, também, no ambiente escolar, tem sido motivo de estudos e pesquisas. Até que se possa falar em vacina para esse público, ainda sem perspectiva.

Estudos pelo mundo mostram que  crianças têm uma carga viral  bem parecida a dos adultos, portanto, os riscos de contaminação não são diferentes.

Os dados foram apresentados aos parlamentares da Comissão de Educação da Câmara na última segunda-feira (29) e divulgados na Agência Câmara, pela coordenadora do Laboratório de Epidemiologia da Universidade Federal do Espírito Santo, Ethel Maciel.  

Ela fez questão de citar uma das revistas a ‘Science’, que chegou a  publicar um estudo. Nele, consta a resposta de 41 países à pandemia. O estudo afirma que o lockdown com escolas fechadas ou salas com menos de 10 pessoas foram as medidas mais eficientes para deter a Covid-19.

Inquérito sorológico feito no Espírito Santo com 1.693 crianças e jovens de até 22 anos mostrou que a incidência do vírus nesta amostra aleatória foi de 6%, pouco menor que a verificada em adultos, de 9%. Ainda de acordo com o levantamento, 35,3% dos estudantes estavam assintomáticos. 

E os sintomas de maior relevância foram a tosse e a perda de olfato. Ou seja, a medição da temperatura não se mostra uma barreira eficaz porque apenas 26% tinham este sintoma.

Para Ethel Maciel, os estudos mostram que a medida mais eficaz é o distanciamento físico seguido de barreiras técnicas como filtros de ar.

“A gente precisa mensurar o CO2 desta sala. Porque pode ser que numa sala eu possa colocar 30 e em outra eu não posso colocar nem 10. Isso varia dependendo da ventilação e do tamanho da sala”, afirmou.

Agência Câmara / Meio Norte

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade