ad16
DestaquesEducaçãoTodas as Notícias

Estudantes relatam os desafios em mudar de cidade para cursar o ensino superior

A cidade de Picos recebe todos os anos um grande fluxo de estudantes de outros estados e regiões.

Sair da zona de conforto é sempre um grande desafio. De acordo com o Censo da Educação Superior, realizado no ano de 2018, 34% dos estudantes universitários brasileiros já passaram ou estão passando por esse processo de mudança, no que se refere a morar longe da família para estudar. As informações são de Rawena Lúcia (Vem Ver o Semiárido)

A maranhense Midian Santos, de 21 anos, conta como foi a sua experiência em ter que sair da cidade de Timon-MA para cursar enfermagem na Universidade Federal do Piauí (UFPI) de Picos.

“Inicialmente tinha um colega que residia na cidade, por meio dele ouvi falar a primeira vez na cidade de Picos. A partir disso, vieram mais duas colegas para estudar na Universidade, foi aí que surgiu a possibilidade de estudar nesse município. Com pessoas conhecidas ficou bem mais fácil conseguir referências do lugar e assim me adaptar melhor”, afirma a estudante.

Uma das maiores dificuldades que a universitária relata é a saudade da família e amigos. Segundo ela, isso muitas vezes interfere no rendimento acadêmico e nas notas.

“A maior falta é a família e círculo social, pois ao chegar em um lugar desconhecido precisamos de tempo para se habituar, frequentar lugares e assim conhecer pessoas que possam ser como uma rede de apoio naquele novo local. E até chegar esse nível requer esforço, persistência e paciência”, relata Midian.

O mesmo acontece com Jefferson Gomes, de 26 anos, que estuda Nutrição também na UFPI de Picos. Ele é natural de São João do Piauí e está morando na cidade desde 2019. Segundo Jefferson, a escolha por Picos se deu por conta do município oferecer o curso que ele queria e por ser próximo a sua cidade natal.

Para Jefferson, a maior adversidade em morar longe de casa acontece por diversos fatores.

“É a saudade da família e dos amigos, é aprender a organizar o dinheiro de uma forma que dê pra pagar tudo e ainda guardar um pouco para um eventual contratempo, é se adaptar a uma rotina totalmente diferente, se tornar responsável em ir fazer compra no supermercado, preparar minhas próprias refeições e limpar a casa, são coisas que não tinha tanta preocupação de fazer morando com a mãe”, pontua o estudante.

A experiência de estudar fora pode ser bastante enriquecedora, é o que diz Midian. “O fato de deixar a cidade natal, família, amigos faz com que amadurecemos como indivíduo social, construa novas relações e vínculos”, declara a jovem.

Para Jefferson, tal vivência “é incrível! Sair de casa é sair da sua zona de conforto. É ir atrás do seu sonho sem medo dos obstáculos que vai encarar durante essa jornada. É se tornar totalmente responsável pelas suas decisões e atitudes”.

A cidade de Picos recebe todos os anos um grande fluxo de estudantes de outros estados e regiões. De acordo com Midian, a carência que o município possui em relação a infraestrutura precisa ser considerada. “Picos é uma cidade com uma estrutura regular, levando em conta educação, saúde, entretenimento. Porém, ainda um pouco limitada; há necessidade de grandes avanços para ir de encontro ao ponto de referência que é considerada pelas cidades circunvizinhas”, esclarece a universitária.

Na visão de Jefferson, Picos é uma cidade agradável, apesar de possuir complicações. “Acho uma cidade boa, como toda cidade que cresce de uma maneira desordenada tem seus problemas de infraestrutura e segurança, mas é uma cidade que me agrada e me entrega tudo que preciso para viver bem”, afirma o jovem.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.