ad16
DestaquesPolíticaTodas as Notícias

Lucy quebra silêncio e revela querer tornar pública investigação sobre morte de Firmino

Lucy Soares ainda acrescentou que não viu necessidade para que o processo de investigação corresse sob sigilo.

A deputada estadual Lucy Soares, viúva do ex-prefeito Firmino Filho, nesta quinta-feira (24/06), falou pela primeira vez após a morte do marido. Em entrevista à TV Cidade Verde, a parlamentar revelou que não partiu da família o pedido para que a investigação, acerca da morte do tucano, ocorresse sob  segredo de justiça.

Lucy Soares acrescenta ainda que não viu necessidade para que o processo de investigação corresse sob sigilo. Para a deputada, as informações devem chegar à população de maneira oficial. Ela também contou não ter sido contatada pelo  Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) após a conclusão do inquérito, que ocorreu no dia 06 de maio.

“Foi uma decisão unilateral da Justiça. Não tem motivo para manter em sigilo. Acho que a população tem que tomar conhecimento de forma oficial. Eu não tive nem um telefonema para falar sobre finalização. Para mim não tive nenhum retorno”, disse. 

Lucy soares fala pela primeira vez sobre morte de Firmino Filho (Foto: Reprodução/ Cidade/ Verde)

Lucy Soares informou que soube através de depoente que Firmino havia pedido licença do Tribunal de Contas da União (TCU), onde o marido atuava como auditor federal de controle externo. Ela também relatou que dias antes da tragédia, o ex-prefeito contou estar tendo dificuldades para dormir e executar atividades do trabalho.

“Lá no [TCU] ele tinha um trabalho de tributação para apresentar e sempre falava que tinha que apresentar na quarta-feira, e me dizia que não conseguia ler. Ele sempre falava que não conseguia nem pensar. Eu sempre vi Firmino como um homem forte, brilhante, focado. Achava que aquilo era passageiro. Acho que ninguém em Teresina achou que ele fosse capaz pela pessoa que ele era”, lamentou. 

A parlamentar também confirmou que foi uma das 17 pessoas ouvidas pelo DHPP e classificou como difícil falar sobre a morte do marido: “Foi difícil, pois foi bem recente. Agora, já estou mais tranquila, mas na época estávamos bastante agitados. É uma dor que só sabe quem passa. Perdemos ele de uma maneira trágica, diferente de doença”, afirmou.

OitoMeia

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade