ad16
DestaquesGeralPolícia

PM e MP se reúnem com manifestantes para evitar atos de vandalismo

[ad#336×280]Preocupados que aconteça atos de vandalismo durante a manifestação desta quinta-feira (4), a Polícia Militar de Picos e o Ministério Público, através do promotor Maurício Gomes, se reuniram na manhã desta quinta com os organizadores do ato da tarde de hoje.

A reunião aconteceu na sala do promotor Mauricio, no Fórum da cidade. No encontro foram acertados os últimos detalhes para o evento: a segurança dos manifestantes, orientações para coibir atos de vandalismo, percurso da manifestação, horário e as reivindicações.

Segundo o coordenador de formação politica do DCE da UFPI, Maurício Martins, foi feito um entendimento com a Polícia Militar e o Ministério Público para facilitar o trabalho dos policiais e garantir a segurança dos manifestantes. “Acertamos até aonde a manifestação iria, aonde a PM iria posicionar seus homens e que horas começa e encerra o movimento para facilitar o trabalho de todos”, conta.

Ele afirma ainda que a organização não aceitará vandalismo durante a manifestação. “Nossa orientação para todos que irão participar, para não depredar o patrimônio público e sim respeitar. Iremos priorizar uma manifestação pacifica e legitima”, frisou.

Organizador Maurício acertando últimos detalhes com o Cel. Wagner Tôrres-Foto: Romário Mendes
Organizador Maurício acertando últimos detalhes com o Cel. Wagner Tôrres-Foto: Romário Mendes

Para o Cel Wagner Tôrres,  a PM estará preparada para acompanhar o movimento e agir caso ocorra ato de vandalismo. Ele informa que a Polícia Militar estará com o efetivo todo empregado na Prefeitura, como na Praça até o deslocamento. “Iremos colocar policiais a paisana com filmadoras para identificar possíveis vândalos”, conta.

O promotor Maurício Gomes informa que o Ministério Público apoia o movimento e espera que o ato aconteça de forma pacífica. “Apoiamos o movimento e não queremos que os atos de vandalismo desacredite o evento”, diz.

Entidades

Segundo Maurício Martins, o movimento ultrapassou os muros da UFPI e várias entidades estarão participando da manifestação, como os estudantes da Universidade Estadual, do IFPI, estudantes dos colégios secundaristas da cidade, movimento feminista, movimentos dos pequenos agricultores, o Sindicato dos Servidores Municipais e outras entidades.

Reivindicações

No movimento, os estudantes e a sociedade em geral irão reivindicar o funcionamento permanente da Delegacia da Mulher, saneamento básico para a cidade, a abertura imediata da Policlínica, 10% do PIB do Estado do Piauí para a UESPI e aceitação das carteiras estudantis na catraca do ônibus para pagar meia passagem.

Segundo Maurício, é uma pauta ampla voltada para o poder municipal da cidade. As reivindicações serão repassadas para o poder municipal através de um documento que será entregue para os representantes do município no final da manifestação.

Bandeiras Partidárias

Segundo o organizador, para não comprometer a manifestação não será permitido bandeiras partidárias no ato. “Não queremos partidarizar a manifestação, estaremos lá para reivindicar o interesse de todos e não entrar no jogo politico da cidade”, conta.

Caso algum desavisado vá ao ato com bandeiras politicas, Maurício fala que não haverá nenhuma violência contra o militante. “Vamos tentar conversar com a pessoa e aviso-lo para não ficar com a sua bandeira, porém a pessoa tem o direito democrático de levantar a sua bandeira e não vamos reprimir de forma física como aconteceu em outras cidades. Se o sujeito é de partido A, B ou C eu não posso impedir o direito dele de se manifestar”, fala.

Participaram da reunião o comandante da PM em Picos, tenente-Coronel Wagner Tôrres, o comandante do Ronda Cidadão, capitão França, o promotor Mauricio Gomes e os dois líderes estudantis Alexandre e Maurício Martins.

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade