ad16
AutoPECASonline24.pt
DestaquesGeralPolíciaTodas as Notícias

Após pressão, Marcelo Castro reduz mandato de senador para 5 anos

O relator da reforma política, deputado federal Marcelo Castro (PMDB), cedeu as pressões e mudou em seu relatório, o texto que fixava o mandato de senador em 10 anos. O parlamentar recuou para a proposta original de 5 anos.

“Fruto de uma negociação nós cedemos nesse ponto de vista (mandato de 10 anos), mas a reação popular, da mídia, das redes sociais foi muito forte, unânime. Pude perceber o quanto a sociedade brasileira é contrária a um mandato de 10 anos para senador. Eu tive que voltar ao meu ponto original e isso só fez aumentar as minhas convicções de que o mandato de senador deve ter duração igual a de todos”, disse o deputado ao Cidadeverde.com.

Deputado federal Marcelo Castro-Foto: Wilson Dias/Agência Brasil
Deputado federal Marcelo Castro-Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Marcelo Castro afirmou que já havia proposto antes que o mandato deveria ser de 5 anos para todos os cargos eletivos. “Uma vez que nós estamos propondo o fim da reeleição para os cargos Executivo de prefeito, governador e presidente. Nós achamos que o mandato de 4 anos para o Executivo era muito pouco e preferimos então propor o mandato de 5 anos para todos os cargos eletivos. Daí achamos razão para que nenhum cargo em particular tenha tempo de duração diferente de outro”, explica o parlamentar.

Além da reação negativa em relação ao mandato de senador, Castro enfrenta críticas por ter optado no relatório pelo modelo de voto apelidado de “distritão. “Eu tinha um compromisso com a comissão da reforma politica de relatar o que a maioria achasse por bem. No primeiro dia de comissão eu apresentei uma cartilha que elaborei sobre reforma politica tratando de diversos temas que nós iríamos discutir durante esse período. Eu disse que ali estavam as minhas ideias, mas que eu não seria relator de mim mesmo. Eu não ia botar no relatório as minhas ideias, mas o que a maioria da comissão achasse por bem”, explica.

Castro ressaltou que é contra o distritão, no entanto, teve que se submeter ao que a maioria decidiu. “Dezoito deputados foram a favor do  distritão, 14 optaram pelo distritão misto e 2 se abstiveram. Como teve maioria eu fui obrigado a relatar, mas é o sistema contrário as minhas convicções e cumpri o compromisso com a comissão”, destacou, ressaltando que encerra as polêmicas sem trauma.

“Com essa negociação cedi ao mandato de 10 anos e vi o quanto a população é contrária e voltei atrás. Isso não me traz trauma”, finalizou.

Cidade Verde

Etiquetas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade