ad16
DestaquesMonsenhor HipólitoMunicípiosTodas as Notícias

Denúncia do Riachaonet vira caso de polícia

Milhares de abelhas foram intoxicadas na zona rural de Monsenhor Hipólito

Segundo noticiou o Portal Cidade Verde, o caso denunciado pelo Riachaonet no último dia 12 de fevereiro será investigado pela polícia. Colmeias do apicultor Geovan José de Sousa foram envenenadas na localidade Lazam Velha, zona rural de Monsenhor Hipólito.  

A Secretaria de Segurança do Piauí investiga a mortandade misteriosa de abelhas, na região de Monsenhor Hipólito, a 369 km ao Sul de Teresina. A suspeita é que as colmeias tenham sido envenenadas de forma criminosa. O assunto motivou uma reunião na manhã desta terça-feira (26) na sede da SSP, com a presença do secretário Rubens Pereira e de representantes das Câmaras Setoriais. Fiscais da Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (Adapi) já se deslocaram à região para fazer o levantamento do prejuízo ambiental e econômico e coletar material.

Colmeias foram envenenadas na localidade Lazam Velha, zona rural de Monsenhor Hipólito
Colmeias foram envenenadas na localidade Lazam Velha, zona rural de Monsenhor Hipólito

“Há a suspeita de envenenamento, ato criminoso. Fomos à Secretaria de Segurança para pedir uma ação da polícia no sentido de investigar, ao mesmo tempo a Adapi e a Embrapa estão fazendo coleta de material para identificar as substâncias que podem ter causado essa mortandade”, disse o coordenador estadual das Câmara Setoriais, Sérgio Vilela.

Segundo ele, o caso preocupa, já que pode colocar em dúvida a qualidade do mel produzido no Piauí, além do desequilíbrio ambiental. “O pessoal da Adapi foi hoje ao campo para fazer o levantamento. Preocupa mais ainda porque o Piauí é um dos maiores produtores do Brasil e 1º do Nordeste e todo seu mel é exportado como mel orgânico. Então, você ter uma situação onde há dúvidas na maneira como as abelhas estão sendo criadas, leva a dúvida sobre a qualidade do mel. A gente quer evitar isso. Para que isso não se amplie, a gente está pedindo a policia que investigue”, explicou o coordenador, que alerta para o desaparecimento das abelhas em todo o mundo.

Veja vídeo

“Há uma preocupação grande não só no Piauí, mas em todo o mundo, sobre a diminuição das abelhas. A gente não tem ainda todas as explicações para isso, mas levanta-se como hipótese o aquecimento global e outras fenômenos, como a aplicação de agrotóxico nas lavouras. Isso é um problema sério para o meio-ambiente e para a economia também”, alertou.

Segundo o presidente das Câmaras Setoriais do Piauí, Paulo Henrique Miranda, abelhas mortas dentro das colmeias é sinal de envenenamento. “Estamos suspeitando que houve um envenenamento de colmeias com o uso de produtos químicos, não podemos ver o nosso mel contaminado, principalmente com produto químico. O apicultor chegou no local de produção e se deparou com a cena das abelhas mortas dentro das colmeias e isso é um primeiro sinal de envenenamento”, afirmou.

Ainda de acordo o presidente, não é a primeira vez que isso acontece no Estado. O Secretário de Segurança, Rubens Pereira, garantiu que o caso será investigado com rigor. “Vamos reforçar a Segurança, realizar uma frente de ações integradas em parceria com o Batalhão de Policiamento Especializado, com a Delegacia Regional de Picos e a Secretaria de Desenvolvimento Rural para neste primeiro momento chegar autoria do crime, mas também vamos realizar uma campanha para levar até os apicultores e a população de forma geral a gravidade do caso e as consequências negativas para todos nós, prejuízo ambiental, social e econômico”, afirmou.

Fonte: Cidade Verde 

Edição: Riachaonet 

Notícia RelacionadaApicultor tem apiário envenenado em Monsenhor Hipólito

Tags

Leia Também