ad16
CidadeDestaquesTodas as Notícias

O dilema de donos de trailers e a resistência em deixar praças centrais de Picos

Para Eurípedes Parreira, o Pepeu, a transferência será prejudicial para os pequenos comerciantes.

Os donos de trailers de lanches e miudezas estão resistentes a ideia de deixar as praças centrais de Picos, Félix Pacheco e Josino Ferreira, conforme orientação do Ministério Público Estadual (MPE), que está sendo executada pela prefeitura para se estabelecerem na Av. Beira Rio. Na reunião realizada na manhã desta quarta-feira, 02, no Palácio Coelho Rodrigues, muitos feirantes se opuseram a medida que, pelo prazo estabelecido, deveria ter sido executada no último dia 30 de abril.

Para o dono de um estabelecimento que funciona na Praça Josino Ferreira, Eurípedes Parreira, o Pepeu, a transferência será prejudicial para os pequenos comerciantes. Ele entende que antes a prefeitura deveria estabelecer um local apropriado para só então fazer essa mudança.

Pepeu e Chico Abel lamentam decisão da prefeitura Foto: Jailson Dias
Pepeu e Chico Abel lamentam decisão da prefeitura – Foto: Jailson Dias

Pepeu, que já trabalha há mais de 10 anos na Praça Josino Ferreira, diz ser a favor da revitalização das praças, mas pede que também seja pensado no lado dos trabalhadores. Ele entende que a situação está indefinida.

Dono de um trailer também na Praça Josino Ferreira, Francisco Borges Leão, conhecido por Chico Abel, declarou em entrevista  que a renda dele é pequena e a tendência é diminuir caso sejam levados para a Av. Beira Rio. Com 59 anos de idade e vítima de um acidente vascular cerebral (AVC), que deixou quase paralisados braço e perna direita, ele lamenta o deslocamento, muito penoso na sua condição.

“Tenho uma deficiência e para chegar lá, não vou ter como ir, porque é muito difícil o acesso”, lamentou. Ele relatou que trabalha como vendedor ambulante há 40 anos, dos quais os últimos 20 na Josino Ferreira.

Conforme entrevista concedida pelo secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico de Picos, Iata Ânderson, não existe volta. Os pequenos comerciantes que não obedecerem ficarão impossibilitados de renovar o alvará.  

Fonte – Folha Atual

Tags
LER MATÉRIA COMPLETA

Leia Também