ad16
Cidade

Problemática do trânsito picoense volta a ser debatida na CMP

Picos vista da passarela da BR 316. Ao fundo balão do bairro Bomba - Foto: Arquivo RIACHAONET
Picos vista da passarela da BR 316. Ao fundo balão do bairro Bomba - Foto: Arquivo RIACHAONET

Durante a sessão desta quinta-feira (18) da Câmara Municipal de Picos a problemática do trânsito picoense voltou a ser debatida pelos parlamentares. Falta de sinalização, estacionamento e carência de campanhas educativas por parte do DMT – Departamento Municipal de Transito foram os pontos mais abordados.

Qualificando o trânsito de Picos como caótico o vereador Edilson Carvalho (PP) afirmou que o DMT não está resolvendo o problema a contento. “Não tem ação concreta nesse departamento. Já foi votada nessa casa e solicitada do prefeito municipal a construção de uma rodoviária municipal que já desafogava quase cem vans que tumultuam o trânsito de Picos. Foi um belo requerimento, aprovado por unanimidade e o prefeito nem sequer respondeu se iria fazer ou quando iria fazer. Isso é descaso com a população”, afirmou.

O presidente da casa Iata Rodrigues (PSB) sugere um mapeamento dos pontos críticos como o primeiro passo pra resolver o problema. “Picos precisa de ruas e avenidas projetadas. Existe a necessidade da construção de um anel viário em Picos. Não existe alternativa a não ser mapear a cidade, identificando os pontos críticos, onde precisa semáforo, pontos de estacionamento, construção de rótulas”, afirmou.

Já o oposicionista Hugo Victor (PMDB) destaca que o trânsito picoense precisa de organização e falta boa vontade para isso. “Está faltando boa vontade. Tenho certeza que tem dinheiro, tem gente capacitada pra fazer o serviço. Eu já estive na situação e sei como os secretários são tratados, não tem autonomia de nada, está lá pra dizer que existe um secretário”, afirmou.

[ad#ad-3][ad#ad-3]
Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade