ad16
AutoPECASonline24.pt
Geral

Belê defende construção de complexo da polícia civil em Picos

Deputada Belê Medeiros-Foto: Ascom
Deputada Belê Medeiros-Foto: Ascom
A deputada estadual Belê Medeiros solicitou ao secretário estadual de Segurança, Luís Carlos Martins, a construção de um complexo da Polícia Civil em Picos. O pedido foi feito durante audiência com o gestor em Teresina. Belê relatou ao secretário o grave problema da falta de estrutura da central da Polícia Civil no município, que funciona em uma casa alugada e tem sua estrutura comprometida, colocando em risco a integridade dos funcionários e da população que recorre ao apoio dos policiais que atuam em Picos.

“Há uma grande insatisfação da população picoense, que eu concordo plenamente. A situação do distrito policial de Picos precisa ser corrigida com urgência porque coloca em risco a vida não só dos delagados, dos escrivãos, mas de todos os funcionários e pessoas que chegam à central da polícia civil em Picos. A sala onde o delegado trabalha tem uma rachadura na parede que você consegue ver quem está na outra sala. É preciso ter um lugar adequado para atender a população que muitas vezes é vítima de uma situação desagradável e quando chega ao distrito onde precisava ser bem acolhido passa a sair mais revoltados com a inoperância”, afirmou Belê.

A parlamentar explicou que o secretário acatou a ideia do novo complexo e determinou que sua equipe de engenharia elabore um projeto para aplicar a ideia. Belê se comprometeu a procurar um terreno que possa ser doado ao Governo do Estado para que seja erguida a central de atendimento da polícia civil de Picos. “A sugestão que demos ao secretário é que a gente pense junto a solução. É importante começar a pensar que Picos precisa receber um complexo adequado para a população de toda a região. O secretário acolheu nossa ideia, e orientou sua equipe a elaborar um projeto nesse sentido, o que nos deixou muito feliz”, disse Belê.

IML – A deputada também cobrou do secretário Luís Carlos Martins a construção de uma unidade do Instituto Médico Legal (IML) em Picos. A parlamentar relatou o caso de uma criança morta onde a família precisou peregrinar entre Isaías Coelho, Picos e Teresina para que fosse emitido um laudo cadavérico para que fosse dado prosseguimento aos ator funerários.

“É de fazer pena a situação dos familiares quando alguma pessoa da grande região morre de forma violenta e precisa do trabalho do IML. O que mais me chocou de todos os problemas que eu vi em Picos foi a dor, o sofrimento, o desespero, a angústia que vi nos pais de uma criança de apenas 10 anos que morreu no município de Isaías Coelho, a quase 150 km de Picos. Foi trazida dentro de um caixote, como um porco que se leva para vender no meio da rua, mas era uma criança de 10 anos. De Isaías Coelho ela foi levada para o Hospital Regional de Picos que não teve outra coisa a fazer se não jogar essa criança de novo dentro do caixote e levá-la para Teresina para que fosse feita a autópsia para a liberação do corpo que voltou para Isaías Coelho. Essas coisas eu não consigo compreender. Porque precisamos passar por isso? Picos precisa de um IML e nós não vamos nos calar”, desabafou Belê.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade