ad16
AutoPECASonline24.pt
CuriosidadesDestaquesTodas as Notícias

Histórias que inspiram: conheça um pouco mais da rotina da primeira mulher motorista de aplicativo em Picos

Segundo a motorista, ela sempre foi apaixonada por carros e logo aproveitou a oportunidade de virar motorista quando o aplicativo chegou a cidade.

Mesmo com a constante evolução e as mulheres cada vez mais ocupando lugares que antes eram majoritariamente masculinos, ainda é possível se deparar com o machismo enfrentado por a classe feminina, principalmente no ambiente de trabalho. Como é o caso da Eliane Leal, 28 anos, picoense e a primeira mulher motorista de aplicativo de Picos.

Além de ser a primeira mulher motorista de aplicativo, Eliane também é dona de um posto de lavagem de automóveis, o Lava Jato Limpa Tudo, que já chegou a ser premiado como o melhor posto de lavagem de Picos. Segundo a empresária e motorista, ela sempre foi apaixonada por carros e quando surgiu a ideia do aplicativo de mobilidade, Eliane agarrou a oportunidade e inspirou outras mulheres a seguir a mesma profissão.

Foto: Arquivo pessoal.

Ela conta que mesmo já tendo se estabelecido no ramo, ainda sofre bastante preconceito pelo mesmo estereótipo batido de que mulher não sabe dirigir. Eliane nos contou que sempre se surpreendem ao vê-la no volante e até mesmo os elogios são com ar pejorativo. “Quando a corrida é para fora da cidade o algum lugar mais distante, sinto a discriminação na pergunta ‘mas é você quem vai dirigindo?’”, acrescentou a motorista que disse ser uma pergunta recorrente, principalmente vinda de homens.

Além do preconceito sofrido, Eliane também enfrenta o medo constante de assédio, que segundo ela, se tornou comum. “É difícil ter um dia que não aconteça, principalmente nos finais de semana quando a demanda de corridas é para bares ou festas privadas”, disse a motorista.

E por já ter vividos alguns episódios assustadores, como quando um passageiro bêbado tentou forçar um beijo, ela já desenvolveu algumas defesas, como no próprio aplicativo que tem o botão do pânico, que automaticamente envia um chamado para a central do app e para todos os outros motoristas.

Foto: Arquivo pessoal.

Porém, mesmo diante de tantas complicações, Eliane Leal, continua a investir nos seus negócios, tanto como motorista, como gerenciando o posto de lavagem e acredita que o serviço pode ser executado tanto por homens como por mulheres, levantando a bandeira da equidade, assim como tantas outras mulheres.

A empresária finalizou a sua fala citando uma música da Kell Smith, “o grito antes preso na garganta já não me consome, é para acabar com o machismo e não para aniquilar os homens”.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui