ad16
DestaquesPolítica

Vereador irmão Zé Luís é cassado em Picos

[ad#336×280]A Justiça Eleitoral de Picos deu parecer favorável às denúncias do Ministério Público e cassou os mandados dos vereadores Diógenes Medeiros (PPS) e irmão Zé Luís (PV). Os dois são acusados de captação ilícita de sufrágio, o mesmo que ‘compra de votos’. O primeiro a ter o mandado cassado foi Diógenes Medeiros. De acordo com o MP, ele obteve votos dando em troca dinheiro e abadás (uniformes carnavalescos) para eleitores.

A sentença proferida pelo juiz Adelmar de Sousa Martins ainda impõe que o vereador pague multa de 10 mil UFIR’s e que os votos destinados a ele sejam agora computados para a coligação a qual faz parte. O suplente de Diógenes deve ser convocado imediatamente para assumir o cargo.

A decisão do mesmo juiz também afasta o vereador irmão Zé Luís. O ato deve ser publicado ainda hoje. Nos dois casos, o Ministério Público utilizou ligações telefônicas, autorizadas pela justiça, para comprovar o crime de compra de votos.

Vereador irmão Zé Luís
Vereador irmão Zé Luís
Dedé Monteiro (PPS) e Dalva Mocó (PSB)
Dedé Monteiro (PPS) e Dalva Mocó (PSB)

Após a cassação dos vereadores Diógenes Medeiros e Zé Luiz, entrarão respectivamente em seus lugares os suplentes de vereador, José Joaquim de Carvalho conhecido como Dedé Monteiro (PPS) com 631 votos na eleição de 2012 e Francisca Celestina de Sousa conhecida como Dalva Mocó (PSB) com 806 votos na mesma eleição, esta é esposa do ex-vereador Edvaldo José de Moura mais conhecido como Didi Mocó (PV).

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Quer falar a Redação? Comece aqui
Publicidade