ad16
DestaquesGeral

Empresa de consórcios aplica calote em centenas de clientes em Picos

[ad#336×280]

Por Maria Moura e Romário Mendes
A empresa de consórcios “EletroMais” pode ter dado um calote inédito em centenas de pessoas de Picos e região. Desde o final da última semana, quando a fraude foi descoberta, centenas de pessoas já procuraram a Delegacia Regional da Polícia Civil para registrar boletins de ocorrência contra a empresa.

O sonho de ter um transporte próprio se transformou em um pesadelo quando clientes contemplados em sorteio passaram a não receber os bens estimados em contrato. Em alguns casos, o gerente da empresa propunha um prazo de até 60 dias para entrega de motos aos consorciados. Aos poucos, os prazos passaram a não ser cumpridos.

A empresa também prometia entregar o veículo quitado tão logo o cliente fosse sorteado. A novidade atraiu inicialmente centenas de picoenses e arrebatou clientes em toda a região.

A dona de casa Edilene Rodrigues, vítima do calote, registrou boletim de ocorrência nesta quarta-feira (24). Ela afirma que a promessa de ter uma moto pagando pouco era o diferencial da “EletroMais”. “Tinha muita gente que já tinha recebido [a moto], inclusive uma pessoa da minha família, que foi contemplada com duas parcelas e já recebeu a moto paga”.

A dona de casa que teve um prejuízo de mais de mil reais desabafa: “Eu me senti uma palhaça. Você nunca imagina que vai acontecer com você, você só imagina que vai acontecer com outros”.

Empresa tem filiais em 9 cidades do Piauí - Foto: Romário Mendes
Empresa tem filiais em 9 cidades do Piauí – Foto: Romário Mendes

Revolta

Outra vítima é o mototaxista picoense Vasco Alves. “O sentimento é de revolta e tristeza. A gente batalha o dia-a-dia, às vezes tira o dinheiro de outras coisas pra nunca atrasar uma parcela, e no final acontece uma coisa dessas”, lamenta.

Vasco chegou a pagar 47 parcelas de R$ 209, seu plano previa uma moto Honda 150 FAN. O prejuízo calculado pelo mototaxista é de quase R$ 10 mil.

Vítimas somam prejuízos - Foto: Romário Mendes
Vítimas somam prejuízos – Foto: Romário Mendes

O comerciante Josinaldo Almeida ainda chegou a ser alertado por um funcionário que dizia que aquilo – a compra premiada – ainda iria dar problema, mas acabou ignorando os alertas e teve um prejuízo de mais de R$ 8 mil. “Cheguei ao ponto de conversar com o gerente e falei que iria quitar a moto. Ele falou que mesmo que eu quitasse, só receberia [o veículo] após 60 dias. Depois disso comecei a ficar desconfiado”, conta.

O comerciante ficou sabendo do golpe da empresa em outros clientes através dos alertas espalhados no facebook. “Eu espero que a polícia faça o trabalho dela e investigue porque isso é um calote de grande proporção, têm muitos pais de família lesado, e espero que o Ministério Público faça o mesmo que fez com o ‘Casal Styllos’”.

Josinaldo ainda relata que em Bertolínia há pessoas na mesma situação, vítimas da compra premiada.

Para a dona de casa Edilene Rodrigues, o golpe trás uma única lição: “Você nunca deve trocar o certo pelo duvidoso, e é isso o que eu vou fazer daqui pra frente”.

Clientes temem não recuperar dinheiro gasto em consórcios - Foto: Romário Mendes
Boletim de Ocorrência registrado por vítima – Foto: Romário Mendes

Investigação

Nossa equipe procurou o delegado regional da Polícia Civil em Picos, Gilberto Franklin, que preferiu não prestar qualquer esclarecimento sobre o caso. O inquérito que investiga o golpe está sendo conduzido pelo delegado do 1º DP de Picos, Divanilson Sena, que não foi encontrado.

A empresa

A empresa está com suas sedes em Picos fechadas desde que os casos de consorciados sorteados que não recebiam as motos começaram a se multiplicar. Os proprietários estão desaparecidos.

A Eletromais  atua há anos no Piauí e tem lojas espalhadas pela cidade de Picos, Arraial, Marcos Parente, Bertolícia, Amarante, Guadalupe, Floriano e Palmeirais. As duas lojas de Picos – localizadas na Avenida Piauí, bairro Junco, e Avenida Deputado Sá Urtiga, bairro Bomba, esta última inaugurada em outubro de 2011 – estão com os portões fechados.

Além de motos, a “EletroMais” também oferecia materiais de construção e eletrodomésticos.

Slogan da empresa prometia vantagens a clientes - Foto: Romário Mendes
Slogan prometia vantagens a clientes – Foto: Romário Mendes

Leia mais sobre golpes aplicados em Picos:

Casal da Styllos poderá pegar até 13 anos de prisão por estelionato
Organizador do Bloco Nanaê reaparece e diz que vai vender casa para ressarcir foliões

Botão Voltar ao topo
Quer falar a Redação? Comece aqui

Adblock detectado

Você está usando um bloqueador de anúncios.
Publicidade